Mídia Tendenciosa

Propagando a Grande Mentira

Hotel em Promoção - Caraguatatuba
Faça Sua Parte - Compartilhe!

A CNN e outras empresas de mídia permitem que porta-vozes dos palestinos digam mentiras até diante de fatos documentados.

Empresas de comunicação insistem em dar igual tempo a ambos os lados do conflito entre palestinos e israelenses – mesmo quando uma das partes apresenta fatos documentados e o outra fabrica mentiras.

Na medida em que sua política de terror está sendo mais e mais revelada, os porta-vozes da Autoridade Palestina vão aos meios de comunicação com alegações descabidas. Então a Grande Mentira é repetida – sem questionamentos – em virtualmente todas as redes de televisão e jornais.

Receba Estudos no Celular!

Para melhor ilustrar, apresentamos abaixo exemplos de Grandes Mentiras como foram mostradas na CNN:

GRANDE MENTIRA 1 – Não existem atiradores refugiados na Igreja da Natividade em Belém. No local só há cristãos com medo de serem massacrados pelo exército de Israel.

CNN Crossfire, 2 de abril: Hassan Abdel Rahman (Representante da Autoridade Palestina para os Estados Unidos), foi questionado sobre os atiradores palestinos que tomaram a Igreja da Natividade em Belém. Segue o que ele disse:

“Os habitantes de Belém são na sua maioria cristãos, 90 por cento deles. Diante da invasão de sua cidade pelo exército de Israel, eles procuraram os lugares sagrados para se esconderem. Eles estão se escondendo em uma igreja na esperança de receber proteção, pois viram os palestinos serem massacrados pelos israelenses em outras cidades como Ramallah, Jenin e Qalqilia. Os padres convidaram os moradores para vir até a igreja e se esconderem. Há apenas pouquíssimas pessoas armadas. As restantes são civis, cristãos que procuram refúgio na igreja.”

FATO: A população cristã de Belém ficou reduzida a apenas 20%. Muitos cristãos emigraram, fugindo da pressão muçulmana desde que Arafat chegou. Alguns dos terrroristas procurados, escondidos na Igreja da Natividade, são membros do Hamas e de outros grupos terroristas islâmicos e não cristãos procurando refúgio, como foi mostrado na CNN.

FATO: O monge franciscano Johannes Simon disse que os palestinos entraram violentamente, atirando nos cadeados da porta da basílica.

FATO: Com tantos repórteres e organizações de direitos humanos andando pelos territórios, não foram vistos sinais de palestinos “massacrados em massa”, como Abdel Rahman disse na CNN.

GRANDE MENTIRA 2 – Documentos confiscados do escritório de Arafat em Ramallah, detalhando o envolvimento de seus principais conselheiros em atentados suicidas e atos de terrorismo, são forjados.

CNN, 2 de abril, Abdel Rahman: “Isto é uma fraude do serviço secreto israelense. Eles têm um departamento especializado em produzir este tipo de mentira.”

CNN, 3 de abril, Nasser Al-Kidwa (representante palestino para as Nações Unidas): “…parece coisa de James Bond … rumores sem fundamento”.

FATO: As tropas israelenses encontraram documentos que demonstram claramente o envolvimento da cúpula palestina com o terrorismo. Em um desses documentos, Arafat autoriza pessoalmente o pagamento de um chefe dos comandos terrorista Tanzim e da Força 17, sendo essas milícias que comandaram ações como o ataque a uma cerimônia de bar mitzvah em Hadera. Em outro documento, homens de Arafat recebem pedidos de dinheiro para comprar componentes de bombas levadas pelos suicidas.

Veja os documentos no site do Exército de Israel, clicando em:

http://www.idf.il/english/announcements/2002/april/eng.doc

GRANDE MENTIRA 3 – Quando a Autoridade Palestina é surpreendida em atos que violam os acordos de paz, seus representantes dizem que são inocentes.

CNN, 3 de abril, Leila Shahid (Delegada Geral da Palestina na França): “…quando o exército israelense chega a um lugar que invadiu, “planta” documentos falsos, drogas ou cinturões de dinamite”.

FATO: Depois de uma busca no escritório de Arafat em Ramallah, o exército de Israel encontrou milhões em dinheiro americano e israelense falsificados. Existe no mundo algum outro líder que seria capaz de ter moeda americana falsificada em seu escritório?

FATO: Em 27 de março o motorista de uma ambulância de bandeira palestina foi preso quando transportava um cinturão de explosivos escondido sob a maca onde jazia um garoto palestino. A Autoridade Palestina disse que o artefato foi “plantado” pelos guardas israelenses para prejudicar a imagem da AP.

Em fevereiro, essa estratégia de negar a verdade atingiu o auge quando, conforme a revista Newsweek: Arafat “sustenta que nada sabia sobre o carregamento de armas vindas do Irã, que o exército Israelense interceptou [no navio Karine A]. Se existe algo de que George W. Bush não gosta é de um mentiroso”.

GRANDE MENTIRA 4 – As tropas israelenses mataram um padre católico em Belém e danificaram a Igreja de Santa Maria.

CNN, 2 de abril : “[Fontes palestinas] disseram hoje que um padre católico de 45 anos foi atingido por uma bala e morreu”. O correspondente da CNN, Rula Amin, também reportou que os soldados israelenses atiraram na Igreja de Santa Maria e mataram “Padre Jackie”.

FATO: O padre está vivo e bem. Em 4 de abril o cardeal Pietro Samari, embaixador do Vaticano em Israel, pediu desculpas e disse que o relato da morte do padre era falso…

Em 2 de abril, Aaron Brown, da CNN, defendeu a decisão de levar ao ar a entrevista com o porta-voz do Hamas: “Nós vemos as coisas da seguinte forma: nosso trabalho é levar ao público a palavra de ambos os lados. Isso não significa que nós os apoiamos ou gostamos do que eles dizem. Na hora de tomar a decisão, não levamos isso em conta. Temos a certeza de que, se o público ouve os envolvidos e, se as perguntas feitas são razoáveis, as pessoas são aptas para julgar por si mesmas os méritos da questão”.

Note que Brown não disse que entre os critérios da CNN estava o de “dizer a verdade”. Em meio à enxurrada de informações e contra-informações que vêm do Oriente Médio, será que os telespectadores estão “aptos para julgar por si” se o que eles escutam são mentiras deslavadas?

Levantamos algumas questões sobre o papel da mídia:

Por que a mídia permite que a Grande Mentira seja propagada em seus noticiários?

Não deveria a mídia ter a responsabilidade de desafiar a Grande Mentira, senão durante a transmissão, pelo menos logo em seguida?

Se um porta-voz dos palestinos usa repetidamente a plataforma da mída para propagar a Grande Mentira, não deveria a mídia ter a responsabilidade de baní-lo?

(http://www.beth-shalom.com.br – Extraído de: http://www.honestreporting.com)

Hotel em Promoção - Caraguatatuba

Deixe um Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Right Menu Icon
%d blogueiros gostam disto: