Estudos Bíblicos Estudos da Semana Últimas Notícias

Pastor diz que “silêncio do púlpito” sobre decadência moral na sociedade é pecado

Hotel em Promoção - Caraguatatuba
Faça Sua Parte - Compartilhe!


Shane Idleman critica falta de ação de líderes cristãos sobre assuntos que a Bíblia condena.

Em seu perfil do Facebook, Shane Idleman deixa clara sua opinião sobre o que acredita estar acontecendo na igreja atualmente: “Existe uma tendência perigosa na igreja evangélica hoje. Está sendo feita uma tentativa fútil de conformar a Palavra de Deus às normas sociais”

Pastor Westside Christian Fellowship, Shane também foi contundente ao escrever o artigo “O pecado do silêncio no púlpito”, no portal Christian Headlines, onde critica a posição condescendente de muitos líderes cristãos com relação a temas como aborto e casamente entre pessoas do mesmo sexo.

Receba Estudos no Celular!

Embora reconheça que “inúmeros pastores e líderes cristãos estão atualmente fazendo coisas incríveis”, Shane diz que não é assim com a maioria deles, o que chama de “tendência perturbadora”.

“Como eu disse antes, nas últimas décadas os americanos testemunharam a destruição da instituição do casamento entre um homem e uma mulher, a remoção da Palavra de Deus na maior parte da arena pública, o racismo horrível e o flagrante assassinato de milhões de bebês”, elenca alguns temas que, para ele, estão sendo renegados pela igreja em seu país.

Ele diz que “esta é uma acusação contra a América, e o púlpito é parcialmente responsável, [pois] nosso silêncio fala alto”.

Shane diz que o púlpito regula a condição espiritual do povo de Deus, que afeta a nação. “Uma cultura morna e saturada de sexo (e igreja) simplesmente reflete a falta de convicção no púlpito e no banco”, afirma.

Para respaldar sua opinião, Shane traz a informação do pastor Jim Garlow, que observou: “Existem aproximadamente 364.000 igrejas na América: 72%, ou 264.000 delas, são ‘liberais’, o que significa que realmente não se importam com a Bíblia. De acordo com pesquisas exaustivas, algo entre 6.000 e 15.000 realmente tem uma cosmovisão bíblica de boa-fé, ou seja, eles veem a vida através das lentes das Escrituras.”

Shane expõe seu espanto no artigo: “Você pegou isso? Quase 72% das igrejas não olham para a Bíblia como sua fonte final de autoridade e direção. Não é de admirar que a América esteja desmoronando por dentro; a fundação está se deteriorando”.

“Pastores ousados ​​estão quase extintos. Seria muito mais fácil ‘brincar de igreja’ e fazer com que todos se sentissem bem. A igreja – como a conhecemos agora – será funcionalmente ilegal muito em breve. Com as recentes decisões do SCOTUS [a Suprema Corte americana], a Primeira Emenda morreu e em breve as igrejas serão forçadas a contratar aqueles que praticam a homossexualidade e não terão permissão para falar contra a prática pecaminosa”, alerta.

Shane diz que “este artigo não é uma repreensão, por si só, mas um apelo manchado de lágrimas para retornar a Deus”.

“O sangue dos nascituros e os efeitos da legislação ímpia não estão apenas nas mãos dos legisladores ou juízes, mas também nas mãos dos capitulares pregadores”, avisa.

Para ele, a sociedade pode ignorar o assassinato de milhões de bebês no útero, zombar da polícia, profanar a sociedade, saquear e destruir, redefinir o casamento, apoiar a perversão, apoiar movimentos ímpios… “[Mas] e os pastores, devem manter a boca fechada sobre esses assuntos? Acho que não”, diz.

Vigias silenciosos

Shane diz que “a Bíblia chama pastores de ‘vigias’ que gritam e tocam o alarme para despertar uma igreja adormecida, não para cantar suas canções de ninar. O profeta Isaías, que não mede palavras sobre vigias preguiçosos, diz que são cegos e ignorantes e que todos são cães burros que não podem latir (levante a voz para alertar). Eles dormem e se deitam, adorando dormir (cf. Isaías 56:9)”.

Sobre sua opinião, o pastor disse que “à primeira vista, você pode pensar que essa redação é muito forte, mas posso garantir que não. Afastar-se de falar a verdade em amor é uma ofensa séria contra Deus. Um pastor genuíno não se chama para o ministério; Deus o chama para falar a verdade, mesmo em tópicos difíceis”.

Shane diz que o silêncio sobre o pecado está se rebelando contra o chamado de Deus. “Se seus sermões não perturbam o mundo de tempos em tempos, tenho que questionar seriamente sua vocação”, diz.

O pecado da falta de oração

Shane também fala que no “coração da covardia estão os pecados da falta de oração e do orgulho”.

Ele diz que a “condição seca, morta e letárgica da igreja reflete com precisão uma vida de oração impotente e uma falta de humildade”.

Para Shane, a falta de oração é um problema em todos os segmentos.

“No púlpito leva à apostasia e sermões mortos. Assim como a falta de oração no banco leva a vidas destruídas e depressão. A falta de oração nos homens leva ao colapso da família”, acredita.

Citando E. M. Bounds, diz que “quando a fé deixa de orar, deixa de viver”. “Temos muitas demandas por protestos, mas onde estão os gritos para as reuniões de oração?”, questiona.

Shane reconhece que “quando um pastor se mantém firme pela verdade, ele é humilhado, zombado e desprezado – ou as pessoas simplesmente deixam a igreja em busca de um pastor mais ‘amoroso’. Mas essa perseguição, de acordo com as Escrituras, pode ser um distintivo de honra, desde que nossa ousadia seja fruto do Espírito e não fruto de um coração arrogante”.

O pastor diz que “ironicamente, quanto mais me aproximo de Cristo através da oração e do culto, mais ousado me torno. Mas quanto mais me preocupo com as opiniões dos outros, menos ousado me torno. Ousadia não pode ser trabalhada; deve ser derrubado quando entregamos nossos corações e vidas a Jesus Cristo. Muitos pastores se juntam ao ministério não para combater a escuridão, mas para assinar uma trégua com o mundo”.

“Pastores, essa é uma promessa que muda a vida; volte para Ele, e Ele voltará para você. Ousadia vem diretamente do Espírito Santo, e é claro que muitos de nós não estamos gastando muito tempo com Deus. Tudo o que Deus nos chama é para sermos comprometidos quando estamos muito ocupados e não temos tempo para Ele”, escreve.

“Quando o púlpito está silencioso, todo o inferno se abre porque não há confronto ou convicção do pecado, mas somos chamados a lutar com as armas espirituais da oração e do culto, a permanecermos firmes e a expor as obras infrutíferas das trevas. Farei isso até que Deus me chame em casa. E quanto a você?”, afirma.

“O ônus da responsabilidade repousa diretamente sobre nossos ombros. A escolha é nossa: ficar de pé ou cair!”, conclui.

Fonte: Guiame.com.br

Postagem Original: https://guiame.com.br/gospel/mundo-cristao/pastor-diz-que-silencio-do-pulpito-sobre-decadencia-moral-na-sociedade-e-pecado.html

Hotel em Promoção - Caraguatatuba