Perguntas sobre o Espírito Santo

Dons Espirituais Cap. 10 Cada cristão tem um dom

Hotel em Promoção - Caraguatatuba
Faça Sua Parte - Compartilhe!

Ronald Watterson   

Cap. 10 — Cada cristão tem um dom

No segundo capítulo deste livrete notamos a repetição da frase “a cada um”, em todos os lugares onde encontramos uma lista de dons no NT. Quero salientar, mais uma vez, esta verdade. Nenhum membro do corpo de Cristo é supérfluo, e sendo assim, não há nenhum membro deste corpo que não tenha uma função. O Deus que deu dons a cada um, nos diz que os deu visando um fim proveitoso (I Co 12:7). Ele deu os dons para serem usados.

Receba Estudos no Celular!

Devemos desenvolver este pensamento. O fato de ter recebido um dom de Deus quer dizer não somente que você tem uma função no corpo de Cristo, como também que Deus tem um plano para a sua vida. Deus lhe deu um dom para capacitá-lo a fazer a obra específica que constitui o plano de Deus para a sua vida.

Isto nos leva a uma conclusão clara e solene. Deus, que tanta coisa nos deu, agora quer algo de nós! Há uma obra importantíssima que precisa ser feita. Não há dúvida, Deus poderia fazer esta obra sozinho; Ele não precisa de ninguém. Também é claro que Ele poderia usar os anjos para fazê-la. Mas não é assim que Ele está fazendo. Ele quer que nós façamos esta obra; e Ele nos deu a capacidade necessária para fazê-la.

Portanto, somos

Responsáveis a Deus.

Deixe-me falar diretamente ao seu coração. Meu irmão, minha irmã, você recebeu um dom de Deus. Você não pediu este dom, mas Deus lho deu. Você não merece este dom; mesmo assim, Deus lho deu.

Por quê?

Deus lhe deu este dom, apesar da sua falta de mérito, porque Ele tem um plano específico para a sua vida. Há um trabalho que Ele quer que você faça. É um trabalho relacionado ao Seu reino, necessário para o bem estar da Sua igreja; e Ele lhe deu a capacidade para realizar esta obra. Deus lhe deu o dom necessário para isto. Isto quer dizer que não há outra pessoa que poderá fazer esta obra tão bem quanto você! Ninguém! Pois Deus lhe deu a capacidade necessária para fazê-la exatamente nas circunstâncias onde você está.

Você não sente a sua responsabilidade perante Deus? Você é capaz de fugir dela?

Responsáveis perante a igreja

Repito o que afirmei acima: esta obra para a qual Deus lhe capacitou é uma obra necessária para a igreja. Ao lhe dar este dom Deus, no mesmo instante, e pelo mesmo ato, deu você como dom à igreja. Aquele que recebeu o dom de ensinar (Rm 12:7) foi dado à igreja como ensinador (Ef 4:11). Talvez o seu dom não seja o de ensinar, mas seja qual for, Deus lhe deu à igreja para usar aquele dom visando o proveito do corpo.

Várias vezes no NT Deus usa a figura do corpo humano para ilustrar a igreja. Como o corpo é um e tem muitos membros, assim também é a igreja (I Co 12:12). Se um membro do corpo humano não funcionar — se o braço está paralisado, ou se os olhos não enxergam — o corpo todo é prejudicado. Assim também acontece na esfera espiritual. Se um membro não está funcionando, a igreja sofre em conseqüência. Se você, meu irmão, não está fazendo aquela obra para a qual Deus o preparou, a igreja está sendo prejudicada devido à sua omissão.

A responsabilidade é grande; a responsabilidade é unicamente sua.

Nenhuma desculpa é válida. Não podemos alegar impossibilidade de servir, devido às circunstâncias difíceis, porque o Deus que nos deu o dom sabia de todas as circunstâncias antes delas surgirem, e deu-nos o dom necessário para funcionar em tais circunstâncias. Em nada adianta falar das nossas preocupações, ou das nossas obrigações. Se não estamos usando o dom que Deus nos deu, estamos falhando na nossa responsabilidade perante a igreja.

Qual o dom que você possui?

Diante desta grande responsabilidade você precisa, em primeiro lugar, descobrir qual dom o Senhor lhe deu. Intimamente relacionado a isto, você precisa descobrir qual a obra que Deus quer que você faça.

Quando Saulo de Tarso ia a Damasco, para prender os discípulos do Senhor, aconteceu o que ninguém esperava. Saulo teve um encontro pessoal com o Senhor Jesus. Ao ouvir a Sua voz ele caiu por terra, e fez duas perguntas. Em primeiro lugar, perguntou: “Quem és, Senhor?” Ouvindo que era aquele Jesus que ele perseguia, ele logo fez a sua segunda pergunta: “Senhor, que queres que eu faça?” (At 9:4-6). A primeira pergunta era a respeito da Pessoa que falava; a segunda era a respeito do propósito desta Pessoa na vida de Paulo.

Quantos cristãos já fizeram a primeira pergunta, mas nunca pensaram em fazer a segunda. Já encontraram com o Senhor; conhecem-nO como Salvador. Sabem que são salvos; sabem também que vão para o céu; mas não sabem o que Deus quer deles nesta vida! E o pior de tudo é que nem procuram saber!

Você já passou algum tempo na presença do Senhor, seriamente procurando descobrir o que Ele planejou para a sua vida? Não tenha dúvida: Ele tem um plano para você. Ele vê um trabalho que precisa ser feito, e preparou você para fazer este trabalho. Você precisa perguntar, como Saulo de Tarso perguntou: “Senhor, que queres que eu faça?“

Muitas vezes a nossa maior preocupação é como a de Pedro, e não a de Saulo de Tarso. Quando Pedro recebeu instruções do Senhor quanto ao serviço que ele deveria fazer, ele não se preocupou, de imediato, em fazer aquele trabalho; preocupou-se antes com João. Queria saber o que João teria de fazer! Esta preocupação de Pedro trouxe uma justa repreensão do seu Senhor (Jo 21:19-22).

Como usar o seu dom

Ao introduzir o assunto de dons na sua carta aos Coríntios, Paulo fez menção do fato de que há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo. Apesar da grande variedade de dons, todos eles vem de uma só fonte — o Espírito Santo (I Co 12:4). Em seguida, ele lhes indicou que há também uma grande variedade de serviços. Estes dons variados seriam usados de várias maneiras, mas o Senhor é o mesmo (I Co 12:5). Apesar da grande variedade de serviços, tudo era comandado por um só Senhor.

Isto é importante para o nosso estudo agora, pois diz claramente que ninguém pode usar o seu dom da maneira que achar melhor; tem que ser usado conforme as ordens do Senhor. Ninguém pode escolher o seu dom; os dons são distribuídos segundo a vontade soberana do Espírito Santo. Da mesma forma, ninguém tem o direito de usar o seu dom conforme quer; tem que usá-lo conforme a vontade soberana do Senhor.

Vemos um exemplo do controle do Senhor ao lermos sobre os dons de línguas e de profecia em I Coríntios cap. 14. “Se alguém falar língua estranha, faça-se isso por dois, ou quando muito três, e por sua vez, e haja intérprete. Mas, se não houver intérprete, esteja calado na igreja, e fale consigo mesmo, e com Deus. E falem dois ou três profetas, e os outros julguem. Mas se a outro, que estiver assentado, for revelado alguma coisa, cale-se o primeiro” (I Co 14:27-30).

Em termos mais gerais, ele diz: “Faça-se tudo para edificação” (I Co 14:16). “Faça-se tudo decentemente, e com ordem” (I Co. 14:40). E para que ninguém tenha dúvida, ele diz: “Se alguém cuida ser profeta, ou espiritual, reconheça que as coisas que vos escrevo são mandamentos do Senhor” ( I Co 14:37).

O ensino destes versículos é claro. Como servos, temos que obedecer as ordens do Soberano Senhor no exercício dos dons que possuímos. E estas ordens estão escritas no NT. Todo o nosso serviço tem que ser em obediência à Palavra de Deus. A responsabilidade do servo é servir, obedecendo.

Use o dom que possui

É importante saber qual o dom que temos, mas isto em si não é o suficiente. Precisamos usá-lo. O grande perigo, para cada cristão, é deixar de usar aquilo que Deus lhe conferiu.

Timóteo recebeu um dom espiritual duma forma que não deixava dúvida alguma. Paulo, escrevendo-lhe a sua primeira carta, disse: “Não desprezes o dom que há em ti, o qual te foi dado por profecia, com a imposição das mãos do presbitério” (I Tm 4:14). Ninguém, muito menos Timóteo, podia duvidar que ele tinha esse dom — foi dado por profecia. Naquele tempo ainda havia profetas, pois a Bíblia não fora completada, e uma profecia comunicou aos irmãos — provavelmente os presbíteros da sua igreja local — que Timóteo possuía um determinado dom. Os presbíteros reconheceram este fato e mostraram isso impondo-lhe as mãos.

O Espírito Santo, porém, achou necessário exortá-lo a não desprezar o dom que havia recebido. A palavra traduzida “desprezes”, significa negligencies, descuides. Isto mostra que é possível ter dom, e negligenciá-lo, deixando de cumprir o propósito de Deus em nossa vida. Se havia este perigo no caso de Timóteo, que recebeu aquele dom em circunstâncias tão notáveis, quanto mais perigo há para nós hoje. Quantos irmãos e irmãs estão fazendo exatamente isto. Estão negligenciando o seu dom. Estão fazendo pouco uso dele, e conseqüentemente, estão fazendo pouco caso daquilo que Deus lhes deu. Já pensou, meu irmão, em como você vai responder ao Senhor que lhe concedeu este dom, naquele dia quando Ele pedir contas?

Mais tarde, Paulo tornou a escrever a Timóteo, e novamente abordou este assunto: “Por cujo motivo te lembro que despertes o dom de Deus que existe em ti pela imposição das minhas mãos” (II Tm 1:6).

Na primeira carta, Paulo falou a Timóteo para não negligenciar o dom; agora escreve-lhe, dizendo que deve despertá-lo. Da primeira vez, Paulo abordou o assunto do lado negativo: “Não negligencies”; agora, ele fala do lado positivo: “Despertes”.

A palavra traduzida “despertes” é interessante; significa acender de novo. É a palavra usada quando se acende novamente um fogo que se apagava. O contexto, em II Timóteo 1, mostra que o temor pode apagar o zelo que devemos mostrar no uso do nosso dom, mas não é a única coisa que age assim. Conforme vemos na primeira carta, o descuido pode produzir o mesmo resultado. Nossa responsabilidade, porém, é de não negligenciar o dom, acomodando-nos, antes despertá-lo e usá-lo, prontamente fazendo a vontade do Senhor e Salvador Jesus Cristo.

Veja mais em Espírito Santo

Hotel em Promoção - Caraguatatuba

Deixe um Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.