Cidadania e Política Notícias sobre Israel Últimas Notícias

Israel ameaça fechar o canal de TV messiânico se evangelizar judeus

Hotel em Promoção - Caraguatatuba
Faça Sua Parte - Compartilhe!

Emily Jones

JERUSALÉM, Israel — A TV de DEUS acusa que sua liberdade de expressão está em risco devido a ameaças contra a transmissão de seu novo canal hebraico em Israel. Isso ocorre porque as autoridades israelenses acusam a empresa de mídia global de violar as leis israelenses que proibem evangelismo.

A TV de DEUS lançou recentemente um novo canal em Israel chamado TV Shelanu, que se traduz em “Nosso” em hebraico. O canal assinou um contrato de sete anos com a TV a Cabo HOT, a maior rede de TV a cabo de Israel, para transmitir histórias da comunidade messiânica e outros conteúdos.

Receba Estudos no Celular!

“O objetivo da TV Shelanu, que é uma parceria entre a TV de DEUS e a comunidade messiânica local, inclusive cristãos árabes locais, é ter uma plataforma para os artistas e comunicadores judeus messiânicos expressarem seu ofício e compartilharem suas histórias de como eles vieram a acreditr que Yeshua é o Messias judeu,” disse ao noticiário da Rede de Televisão Cristã Ron Cantor, diretor regional de Israel da TV de DEUS.

O canal provocou polêmica quando o presidente da rede, Ward Simpson, disse em um vídeo promocional, agora excluído, que Shelanu pretende “levar o evangelho de Jesus às casas, vidas e corações do povo judeu.”

Em um comunicado à imprensa na quarta-feira, Simpson disse que o polêmico vídeo era “ofensivo” e mal formulado, e a empresa o removeu imediatamente.

A mensagem no vídeo promocional pode ser considerada uma violação da licença de transmissão da TV a Cabo HOT, porque é crime em Israel fazer proselitismo de menores de idade e/ou usar meios materiais para atrair alguém a mudar de religião. A TV de DEUS sustenta que a TV Shelanu obedece à lei israelense e não promove proselitsmo.

“Nós nunca faríamos nenhuma dessas coisas. Isso nunca passou pela nossa cabeça,” disse Cantor.

O Conselho de Transmissão por Cabo e Satélite de Israel lançou uma investigação para conferir se a TV de Shelanu está violando a lei de proselitismo de Israel. Se o conselho decidir que a TV Shelanu está de fato evangelizando, o canal será fechado.

Uma declaração no site da TV de DEUS disse que é “obrigação” de Shelanu produzir “conteúdo relevante e dinâmico que chame a atenção do povo israelense e abra seus olhos para a verdade de seu Messias, Yeshua.”

“Por favor, continue conosco em oração para que nossa programação seja eficaz na mudança do estereótipo de Yeshua como inimigo do povo judeu e mostre a eles que ele pertence a eles e é o Messias deles!”

Muitos em Israel poderiam interpretar essa afirmação como prova de que a TV Shelanu procura evangelizar, mas Cantor argumenta que “não é ilegal em Israel compartilhar sua fé” e fechar o canal é uma violação da liberdade de expressão.

“Israel é uma democracia. A única democracia no Oriente Médio e a liberdade de expressão é a marca registrada da nossa sociedade. Entendo que algumas pessoas podem não concordar com o nosso ponto de vista, mas depois que você começa a dizer a um grupo que eles não têm liberdade de expressão, você está no caminho da tirania,” disse ele à CBN News.

“Acreditamos que existe uma séria ameaça à liberdade de expressão em nossa sociedade democrática pluralista. O canal ‘Shelanu’ não é diferente de muitos canais hoje transmitindo conteúdo para as comunidades etíope, russa e árabe em Israel. É absurdo que o conteúdo anti-israelense e anti-sionista seja transmitido gratuitamente todos os dias na televisão a cabo em Israel, e um canal sionista pró-Israel como o nosso está sob investigação,” disse Avi Mizachi, membro do conselho da Shelanu. “Deveríamos ter liberdade para transmitir o conteúdo de nossa comunidade também.”

Mas muitos em Israel discordam.

“O pessoal da TV de DEUS continua colocando o pé na boca porque está simplesmente [dizendo] a verdade — eles querem converter judeus! (Mas a verdadeira questão é por que a agência reguladora israelense perdeu esse esforço para ter um canal missionário e por que outros já existem, por cabo israelense?”, tuitou Yishai Fleisher, porta-voz internacional da comunidade judaica de Hebron.

“Não estamos tentando converter judeus; nós apenas queremos que eles aceitem Jesus como o messias’’: lembra-me que quando as pessoas dizem que não odiamos judeus, simplesmente não acreditamos que devam ter o direito à autodeterminação como todo mundo,” o vice-prefeito de Jerusalém, Fleur Hassan-Nahoum tuitou.

“Convencer os judeus a aceitar Jesus como o messias é o objetivo principal do proselitismo missionário. Objetamos fortemente a esse tipo de atividade, e é por isso que os judeus sobreviveram como nação e preservaram nossa fé antiga,” argumentou David Ha’ivri, um defensor dos assentamentos israelenses que trabalhou em estreita colaboração com os sionistas cristãos nos EUA.

Asher Biton, presidente do Conselho de TV por Cabo e Satélite, escreveu em uma carta à HOT que está considerando encerrar a TV Shelanu por causa de uma discrepância entre o que foi escrito no pedido de licença enviado ao conselho e o conteúdo real sendo transmitido.

“No aplicativo, foi dito que o canal é voltado para a população cristã, enquanto, de fato, parece que o canal procura se dirigir aos judeus e convencê-los de que Jesus é o messias e eles podem acreditar nisso e ainda permanecerem judeus,” Biton escreveu na carta. “Isso é fundamentalmente diferente e, se essas coisas fossem conhecidas com antecedência, nosso tratamento desse aplicativo para aprovar a transmissão deste canal teria sido diferente.”

A TV de DEUS disse que não analisou o pedido da TV a Cabo HOT para transmitir a TV Shelanu antes de ser enviado.

“Esperamos que qualquer problema que precise ser resolvido entre o HOT e o Canal de Transmissão seja resolvido rapidamente, a fim de preservar nossa liberdade de expressão e liberdade de imprensa,” disse Cantor.

A HOT tem até 19 de maio para apresentar uma resposta à carta de Biton.

Fonte: www.juliosevero.com

Divulgação: Eis-me Aqui!

Hotel em Promoção - Caraguatatuba