Cidadania e Política Homossexualismo Últimas Notícias

Transgêneros são 58% mais propensos a cometer assassinatos do que serem assassinados

Hotel em Promoção - Caraguatatuba

Justificativas incluem afirmações de vítimas de “transfobia”

Faça Sua Parte - Compartilhe!

WND

Um novo relatório documenta como um transexual no Colorado e um parceiro mataram nove estudantes em sua escola e depois alegaram que as vítimas mereciam isso por sua “transfobia.”

E em Maryland, um transgênero matou três pessoas e depois usou a arma no próprio suicídio.No Maine, um transgênero defendeu o assassinato de seu pai e mãe porque eles não conseguiram “aceitar” a “transição.”

Receba Estudos no Celular!

Tal violência não é incomum, de acordo com um relatório do site National Justice (Justiça Nacional).

O site disse que “indivíduos que se identificam como transgêneros não apenas são menos propensos a serem vítimas de assassinatos do que mulheres biológicas (e muito menos do que homens); sua pequena população está bem representada entre assassinos, assassinos seriais e pedófilos.”

“A [organização homossexualista] Campanha dos Direitos Humanos, que registra meticulosamente as mortes de transgêneros nos EUA, claramente não as registra quando eles cometem crimes. Mas no Reino Unido, os analistas revelaram que durante o período de 2007-2017, os transexuais foram 58% mais propensos a cometer crimes de assassinato do que serem assassinados,” disse o relatório.

Esses números não estão disponíveis para os EUA, mas vários casos individuais destacaram as alegações de que “eles têm justificava para matar os outros devido ao fanatismo,” de acordo com o relatório.

Eles incluem os incidentes no Colorado, Maine e Maryland.

Na Califórnia, um ativista transgênero de Berkeley, depois de esfaquear duas mulheres, uma até a morte, pediu recentemente que o juíz considerasse seu ato como um ato de insanidade, sem necessidade de prisão, e o juiz aceitou o pedido.

E no Texas mais conservador, um transgênero espancou uma menina até a morte e está enfrentando a pena de morte.

Muitas vezes, reportagens e relatórios omitem a “identidade de gênero” [quando o transgênero é o assassino], afirmou a Justiça Nacional.

“A matemática simples mostra que os transgêneros são menos propensos a serem assassinados do que as pessoas normais,” continuou Justiça Nacional. “De acordo com as estatísticas de crimes do FBI, os americanos são vítimas de homicídios a uma taxa de cerca de 5 por 100.000. Para homens, o número é de 6,6 por 100.000 e para as mulheres, 1,8. De acordo com grupos de ativistas gays, 24 transgêneros foram mortos em 2019 de uma população de 1,4 milhão, tornando sua taxa de homicídios 1,7 em 100.000 — isto é, eles têm menos probabilidade de serem mortos do que as mulheres.”

O relatório credita serviços especializados para transgêneros por proporcionar um “bem-estar acima de todos os outros.”

“O fato de um homem ter seis vezes menos chances de ser morto se ele tomar hormônios femininos e usar roupas femininas é uma prova muito clara de que são pessoas normais que precisam urgentemente de defesa de seus direitos humanos,” afirmou o relatório.

Fonte: www.juliosevero.com

Divulgação: Eis-me Aqui!

Hotel em Promoção - Caraguatatuba