Ensinos Anti-Bíblicos

12 ERROS DO PASTOR FRIDOLIN JANZEN REFUTADOS

Hotel em Promoção - Caraguatatuba
Faça Sua Parte - Compartilhe!

Por: Pr. Pedro Almeida

Histórico:

No dia 28 de Setembro de 2005, recebi um email não solicitado, anunciando mais uma

Receba Estudos no Celular!

tradução do Novo Testamento em Português. Dessa vez, essas más notícias não vieram da

ecumênica Sociedade Bíblica do Brasil (SBB), ou de outras fontes apóstatas e NeoEvangélicas como as que produziram a “NVI” ou a Bíblia “Edição Contemporânea de

Almeida” ou a “Almeida Melhores Textos” da Juerp. O email veio do pastor Fridolin Janzen,

que se diz fundamentalista. Ao acessar a página onde estava disponível essa tradução,

fiquei pasmo ao notar não somente a variedade de “opções”, mas também a péssima

qualidade das mesmas, usando vocabulário fraco, linguagem contemporânea e equivalência

dinâmica, que de imediato faziam lembrar da abominável Bíblia na Linguagem de Hoje da

SBB. De fato, parei no primeiro capítulo de Mateus, onde a idéia de não desperdiçar meu

tempo me veio imediatamente, ao pensar no pior que viria pela frente. Enviei, então, um

email ao pastor Fridolin Janzen informando-o sucintamente o motivo de não apoiar o seu

projeto. Para minha surpresa, entretanto, o pastor Fridolin, ao invés de reavaliar o seu

projeto desastrado e cancelá-lo por completo, ao contrário, resolveu refutar de modo

surpreendente as minhas observações, respondendo no mesmo dia (resposta já

preparada?) e cometendo assim 12 erros gritantes. Resolvi não refutá-lo de imediato,

mesmo porque li rapidamente, mas respondi com toda a gentileza, ficando em oração para

que tal empreendimento não fosse à frente. Algum tempo depois, notei que o pastor Fridolin

Janzen resolveu publicar, tanto meu email, como as mencionadas refutações ao mesmo na

página de promoção dessa Nova Tradução. Como o meu email se tornou uma carta aberta,

chegou a hora da resposta. Aqui vai, então, um manifesto aberto contra esse projeto e

refutações dos erros do pastor Fridolin Janzen, que não se qualifica para conduzir uma

inédita tradução do Novo Testamento em Português, projeto totalmente inútil e

desnecessário nesses dias de apostasia que vivemos.

ERRO # 1 do pastor Fridolin Janzen

“1. Os tradutores da Bíblia King James não usaram o Textus Receptus de Scrivener,

porque o texto de Scrivener foi escrito no Século XIX, enquanto a King James foi

traduzida no início do Século XVII. Quando escrevo “Textus Receptus de Erasmus” é

óbvio que eu utilizei a versão mais aperfeiçoada deste texto, que é o de Scrivener.

Scrivener, porém, usou como base o “Textus Receptus de Erasmus” e por isso

qualquer texto derivado de Erasmus para mim continua sendo de Erasmus. Assim

como o texto original de João Ferreira de Almeida, alterado pela Sociedade Bíblica

Trinitariana, continua sendo a tradução de João Ferreira de Almeida.”

REFUTAÇÃO DO ERRO # 1

O pastor Fridolin Janzen comete aqui um clamoroso erro básico demonstrando se alinhar

nas fileiras dos defensores das versões modernas. Ele demonstra não saber a diferença

entre a data de um papel e a data das palavras naquele papel. Vejamos o erro

da sua lógica. Ele diz: “o texto de Scrivener foi escrito no Século XIX”. Pergunto: O que é

que isso tem a ver com o assunto? Verdade: As palavras Gregas que o Dr. F.H.A.

Scrivener colocou em sua edição do Novo Testamento Grego são as exatas palavras

que foram usadas para basear a Bíblia King James! Sendo assim, os tradutores da

Bíblia King James usaram as palavras que estão reproduzidas no texto

que leva o nome de Scrivener. Será possível que os teimosos opositores da Bíblia

King James não desistirão desse erro? Outro erro básico do pastor Janzen tem que ser

corrigido: Scrivener não usou como base o “Textus Receptus de Erasmus”, mas a 5ª

edição do texto de Theodore Beza, um seguidor de João Calvino.

Outro erro: ele fala de um texto “derivado de Erasmus” usando o termo “para mim”. O

que o pastor Janzen pensa não importa. Ele tenta dar uma alfinetada na Sociedade

Bíblica Trinitariana dizendo que, por comparação, o texto de Almeida foi alterado. Qual a

definição desse “alterado” que o pastor Janzen quer deixar no ar? Com certeza, não é o

alterado que ele praticou em suas traduções. O que ele não diz é que a Bíblia ACF

significa Almeida Corrigida e Fiel. Não foram alterações, como se fossem corruptas, mas

apenas correções ortográficas. É sempre assim, para os modernos tradutores

justificarem suas novidades, eles se lançam numa campanha para destruir o que já foi

aprovado pelo tempo. O pastor Janzen quer coar os mosquitos da ACF mas não se

importa de engolir o camelo de suas radicais alterações.

ERRO # 2 do pastor Fridolin Janzen

“2. Por que razão a Sociedade Bíblica Trinitariana seria a única autorizada por Deus para

imprimir a Palavra de Deus? Foi me confidenciado que a Sociedade Bíblica

Trinitariana cogitou, no passado, fazer uma nova tradução numa linguagem mais

atualizada e não o fez por questões financeiras. Na Alemanha ela o fez. E se de

repente ela decidisse publicar uma outra versão e deixar de publicar João Ferreira de

Almeida, como o irmão ficaria? Não devemos nos tornar dependentes de homens.”

REFUTAÇÃO DO ERRO # 2

Quem é que por acaso defende que “a Sociedade Bíblica Trinitariana seria a única

autorizada por Deus para imprimir a Palavra de Deus”? Ninguém que eu saiba. Nem mesmo

a Trinitariana defende isso. O pastor Janzen está criando aqui um argumento maldoso para

colocar algo na boca dos defensores da ACF, quando na verdade eles não dizem isso. O

nome desse erro de lógica é o do espantalho de palha. Esse argumento pode ser bom para

pessoas ingênuas, mas não para quem sabe dos fatos. A Sociedade Bíblica

Trinitariana do Brasil (SBTB) foi obrigada a fazer o copyright da ACF para proteger o

texto de Almeida dos abutres liberais, que impiedosamente o desfiguraram no século 20, e

insistem na propaganda enganosa de chamar tudo o que é corrupção de Bíblia de Almeida!

A SBTB, portanto, é a única que hoje, no ano de 2005, publica a Bíblia mais Fiel aos

Originais e ponto final. Essa Bíblia é a única merecedora de ser a herdeira da obra de

Almeida, que veio a ser conhecida e consagrada por mais de trezentos anos como a Bíblia

do mundo de fala Portuguesa. A apóstata Convenção Batista Brasileira deixou cair a tocha

de preservá-la. A Sociedade Bíblica do Brasil nunca teve tocha alguma, publicando um

arremedo da Bíblia Corrigida só por razões de dinheiro, querendo no fundo e por debaixo

dos panos acabar com essa tradução. No caso da Trinitariana cair em apostasia e publicar a

tradução do pastor Janzen, por exemplo, eu possuo várias Bíblias Almeida Corrigida e Fiel

impressas, em CD, em folhetos, na internet, em programas de computador e num lugar

onde ninguém pode tirar: guardada no meu coração e decorada na minha mente. Não estou

preocupado com apostasias do homem. Deus preservou a Sua Palavra no passado e

continuará a fazê-lo no futuro, apesar dos projetos como o do pastor Janzen. Realmente não

devemos nos tornar dependentes de homens e de seus erros, por isso é que eu não

recomendo e repudio a Bíblia do pastor Janzen.

ERRO # 3 do pastor Fridolin Janzen

“3. Aqui em Campo Grande o “você” já há muito tempo se tornou na segunda pessoa.

Ninguém usa o “tu”. E, quando se traduz de qualquer língua para o português, a

segunda pessoa sempre se traduz por você. Por que somente na Bíblia seria

diferente? Traduzindo a segunda pessoa do inglês “you” o resultado sempre será o

“você” em português. Por isso, apesar de o “você” ser chamado de terceira pessoa, eu

já o considero há muito como sendo segunda pessoa. O que confunde as pessoas é o

“tu” e não o “você”, em regiões onde o “tu” não é praticado. Se nosso Senhor andasse

pelas ruas de Campo Grande hoje, ele obviamente estaria falando o português do

povo e não um “latim católico”, que poucos entendem. Hoje seria o “latim

fundamentalista”. Mesmo no Rio Grande do Sul onde se pratica o “tu” ele é usado

totalmente errado. “

REFUTAÇÃO DO ERRO # 3

Não quero ser rude com o povo do Mato Grosso do Sul, mas aqui vai algo sincero que não

me preocupo nem um pouco de dizer ou de possivelmente ofender pessoas:

Pouco me importa como o povo de Mato Grosso do Sul fala!

Como Baiano eu também digo: pouco me importa como o Baiano fala. Se o pastor Janzen

está preocupado como o povo do Mato Grosso fala e acomodar isso com o que ele chama

de Palavra de Deus, ele está agindo como Arão agiu em Êxodo 32, fazendo o que o povo

queria: “A Voz do povo é a voz de Deus”. Esse é o lema decadente dos dias de hoje.

Raramente se usa o “thou” em inglês hoje, como também no tempo do Rei James, mas os

crentes que respeitam a Deus e à Sua Palavra usam e decoram porque Deus usa. O

pastor Janzen diz sobre o “você”: ” eu (grifo nosso) já o considero há muito como sendo

segunda pessoa”.

Pouco me importa com o que o pastor Janzen considera!

Ele aqui deixa escapar que a verdadeira fonte de autoridade são suas opiniões. Foi muito

infeliz a forma jocosa de chamar a linguagem da Palavra de Deus de “latim fundamentalista”

minimizando e zombando assim da fidelidade aos originais, comparando com o que a igreja

Católica fez. Ele pergunta: “Por que somente a Bíblia seria (grifo nosso) diferente? A nossa

resposta é que:

A Bíblia É diferente SIM!

A resposta para a pergunta retórica é que a Bíblia é diferente porque ela é a Palavra de

Deus e não a palavra da mediocridade do contemporâneo. Quem quis tratar a Bíblia como

outro livro qualquer foi sabe quem? Westcott e Hort, os 2 mestres diabólicos do

engano. Eles disseram isso para justificar a teoria abominável que suas mentes tenebrosas

criaram para tentar desbancar a Bíblia King James. E agora, em 2005, um fundamentalista

advoga exatamente a mesma coisa que Westcott e Hort advogaram, só que

usando outras palavras. O pastor Janzen mostra não dominar nem mesmo o Inglês que

tenta usar como argumento. Mesmo no Inglês moderno, o “you” pode significar a segunda

pessoa do plural que é “vós”! O pastor Janzen erra mais uma vez.

Se Jesus andasse hoje nas ruas de Campo Grande e entrasse numa sinagoga como o fez

em Lucas 4:17, Ele leria da Bíblia Hebraica fundamentalista que teria mais de 3 mil e

quinhentos anos… Não façamos dO Senhor Jesus um medíocre contemporâneo. Ele falou

palavras duras e não as mudou por causa da mediocridade dos seus ouvintes.

ERRO # 4 do pastor Fridolin Janzen

4. A equivalência dinâmica acontece quando você traduz idéias e não palavras. A

equivalência formal da palavra grega εγινωσκεν em português é “relações sexuais”.

Se formos aplicar a regra sugerida pelo Sr. a outras passagens, a Bíblia se tornaria

praticamente incompreensível. Se o Sr. falar para qualquer pessoa hoje: “Eu conheci a

minha esposa pela primeira vez aos 21 anos de idade”, o que a pessoa entenderia? É

óbvio que não seria “ter relações sexuais”, portanto somos obrigados a usar a palavra

compreendida pelo povo hoje.

REFUTAÇÃO DO ERRO # 4

O pastor Fridolin Janzen cometeu um erro em Mateus 1:25 usando a equivalência dinâmica.

Ele simplesmente não informa que muitas palavras na Bíblia possuem vários significados e

são traduzidas da mesma maneira, pelo mesmo vocábulo, sendo explicadas pelo contexto.

Ele está preocupado com o que aconteceria Hoje. Ele quer a Linguagem de Hoje.

Mateus, por exemplo, não fez o mesmo que o pastor Janzen. O Evangelista traduziu para o

Grego várias passagens do Velho Testamento preservando o eufemismo ou a figura de

linguagem. O verbo conhecer (ginosko) deve ser mantido como está. Não é uma “regra

sugerida” por ninguém. Na monumental e melhor tradução de todos os tempos, a King

James, está como Almeida; até a Bíblia de Lutero (muito inferior à King James) está

traduzida como Almeida. Janzen segue a Bíblia na Linguagem de Hoje ao desprezar o

eufemismo “conhecer” e usar o termo “relações sexuais”, palavras que não ocorrem nem

uma vez sequer em toda a Bíblia.

Nós não “somos obrigados” a usar o que o povo quer. O povo é que é obrigado a

entender o que o Deus quer. Aqui reside todo o foco do problema teológico do pastor

Janzen. Ele focaliza no homem. Mais uma vez a filosofia de Laodicéia se manifesta. Isso é o

antropocentrismo ao invés do teocentrismo das Escrituras.

ERRO # 5 do pastor Fridolin Janzen

5. A transliteração da King James foi uma imposição do Rei James (Tiago), com o

objetivo de impedir que as doutrinas falsas da Igreja Anglicana, baseadas sob termos

transliterados, fossem desmascaradas. Lutero não procedeu assim em alemão. Ele

traduziu os termos. Apesar de continuar aspergindo crianças, ele traduziu o termo

batizar por “submersão”. Infelizmente parte dos tradutores seguiu a King James e

também transliterou os termos que a King James transliterara. O Rei James era tão

egocêntrico que obrigou um livro da Bíblia ser chamado pelo nome dele “James”,

enquanto o grego diz ιακωβος Iakobos, antes Jacob do que James.

REFUTAÇÃO DO ERRO # 5

O golpe de caluniar o Rei James Stuart é velho. O nome dessa artimanha é revisionismo

da História. Teria o mais piedoso e brilhante Rei da Inglaterra, obrigado a epístola de Tiago

a mudar de nome? Isso é um erro clamoroso: Onde será que tal absurdo foi

fabricado? A falta de cuidado e pressa do pastor Fridolin (ele mesmo confessou que: “não

podemos ser meticulosos demais…”) é tão evidente para destruir a King James, que ele

nem se deu o trabalho de pesquisar fatos óbvios e superficiais da história. Vejamos: O Rei

James recebeu esse nome justamente porque na Bíblia em Inglês já constava o nome

James como tradução para Tiago ou “Iacobos”. Quem nasceu primeiro o ovo ou a galinha?

O rei James I da Inglaterra e VI da Escócia, nasceu em 19 de Junho de 1566.

Note, prezado leitor, que diversas Bíblias em Inglês já traduziam Tiago como James antes

mesmo do rei nascer! Veja a Bíblia de William Tyndale de1525: Quarenta anos

antes mesmo do Rei James ter visto a luz do dia:Tiago é traduzido como James.

Veja Matthew’s Bible de 1555: Tiago é traduzido como James

Veja Geneva Bible 1560/1599: Tiago é traduzido como James

Veja a Bishop’s Bible 1568: Tiago é traduzido como James

“A transliteração da King James”: Se o rancor é contra a palavra batismo, que é uma

transliteração de “baptizo”, vejamos que essas Bíblias supra citadas, anteriores à King

James, já praticavam a transliteração. Até mesmo a Vulgata latina já usava a transliteração

mais de mil anos antes da suposta “conspiração” Anglicana! Notemos também que os

anabatistas aceitaram esse termo para si durante todo o período da Reforma, o que prova

que eles não tiveram recalque contra a transliteração. Se fôssemos contra a transliteração,

não nos chamaríamos batistas, mas “imersores”. Tal concessão de se renunciar ao

sinônimo, esvazia e enfraquece o significado de batismo ao invés de fortalecê-lo. O efeito é

contrário, pois se renunciaria a força da palavra e a toda uma história que a representa. Ele

também diz: “Infelizmente… seguiu a King James”. Ora, isso é a maior desinformação! Se

todas as traduções seguissem a King James, que é a Palavra de Deus na língua inglesa e a

Bíblia do Fundamentalismo, nós não estaríamos nessa confusão hoje ao redor do

mundo.

ERRO # 6 do pastor Fridolin Janzen

6. Existem várias versões devido aos regionalismos e aos costumes das pessoas. Há

regiões em que o “tu” ainda continua sendo usado, portanto o pessoal com certeza

irá optar pela versão na segunda pessoa. Sendo que as diferenças são meramente

de cunho gramatical, creio que não confundirão a ninguém.

REFUTAÇÃO DO ERRO # 6

Novamente, uma Bíblia adaptada ao povo, aos regionalismos e aos costumes é

apresentada. Isso nunca terá fim. Os costumes mudam todo ano. Assim, teríamos também

uma revisão da Bíblia do pastor Janzen todo ano. A cada novela nova da Globo, ficaremos

desesperados para produzir uma Bíblia segundo o idioma “Global”. Uma Bíblia para cada

Brasil. Um pastor se muda do Mato Grosso do Sul para o Ceará vai ter que comprar outra

Bíblia… Veja a palavra “optar”. O que isso significa? Temos aqui um “self service” Bíblico.

Tudo é a gosto do freguês. Quando você tem a palavra de Deus, amigo, você não opta por

nada! Assim diz o Senhor e ponto final. Você recebe-a e ou não. E aí, dê contas a Deus!

ERRO # 7 do pastor Fridolin Janzen

7. A nossa igreja se encontra entre as poucas que tem um artigo no Regimento

Interno com o objetivo de promover a Versão Almeida Corrigida Fiel. Quase todas

as pessoas na igreja usam a Trinitariana.

REFUTAÇÃO DO ERRO # 7

Promover a ACF e dilapidá-la ao mesmo tempo é a maior inconsistência que se pode

fazer… É um deserviço ao povo. Dizer que se crê na ACF e produzir seis traduções

diferentes, usando equivalência dinâmica, com menu ao gosto pessoal é um total disparate.

É uma completa desconexão. É o mesmo que dizer que crê na Almeida Fiel e permitir que

Neo-evangélicos usem o mesmo púlpito para pregar com a Bíblia Atualizada. É falar uma

coisa e fazer outra. É ser inconsistente.

ERRO # 8 do pastor Fridolin Janzen

8. Sendo que observamos a grande dificuldade das pessoas que evangelizamos de

entender o texto, nem sequer saber pronunciar as palavras, chegamos à

conclusão da necessidade de uma nova versão da Bíblia. A igreja católica foi

muito criticada por celebrar a missa em latim no passado; os fundamentalistas se

encontram quase na mesma situação na atualidade. O povo não entende mais a

linguagem das Escrituras, e como conseqüência as pregações, e tem dificuldades

em poder se converter do seu pecado. Prezado irmão, nós seremos

responsabilizados por isto diante do Tribunal de Cristo!!! Pode ter certeza!!!

REFUTAÇÃO DO ERRO # 8

Mais uma vez a voz do erro se levanta. O pastor Janzen, que se diz fundamentalista, agora

compara o fundamentalismo com o catolicismo! Vejamos a semelhança inacreditável

entre o que o pastor Janzen diz e o que os mentores da Bíblia na

Linguagem de Hoje disseram há quase 40 anos atrás. O Reverendo Osvaldo Alves

(tradutor da BLH), para justificar esse projeto diabólico que é a BLH, relata que as versões

Biblicas tradicionais causam trauma psicológico culpando-as de não produzir conversões,

exatamente a mesma coisa que o pastor Janzen quer nos convencer! O

reverendo relata: “O tuberculoso, já bem próximo do seu fim, devolvia-me o exemplar da

Bíblia, que eu lhe dera tempos atrás, dizendo: ‘Olhe Pastor, aqui está a sua Bíblia. Não

adianta, eu não entendo mesmo.'” O reverendo continua dizendo que o pão que podia salvar

a pessoa estava “tão bem embrulhado, que ela jamais poderia desembrulhar” Prestemos

atenção à heresia do Senhor Osvaldo Alves e comparemos seu erro com o do pastor

Janzen: Por acaso a palavra de Deus não produz os frutos que convém ao Senhor? Será

que nunca lemos Isaías. 55:11? Os hereges podem produzir UM MILHÃO de novas

traduções na Linguagem de Hoje ou do amanhã, o fato que permanece é esse: O homem

natural não compreende as coisas de Deus (1Co. 2:14) ele é totalmente depravado. Sem a

chamada eficaz do Espírito Santo ninguém irá se converter. Tentar mudar a Palavra para

amaciar a conciência do pecador é uma blasfêmia contra Deus, e isso sim, algo que se

dará conta no Tribunal de Cristo. Se a Bíblia que alguém alega possuir, não for fiel às

palavras preservadas de Deus, nada mais o salvará!

“Assim será a minha palavra, que sair da minha boca; ela não voltará para mim vazia, antes

fará o que me apraz, e prosperará naquilo para que a enviei.”

Não nos atrevamos a julgar a palavra de Deus pela rejeição do ímpio e rebelde pecador! De

tão “desembrulhada” com a ajuda de hereges, a BLH se tornou em perversão. Os

“tradutores” acham que Deus precisa de uma ajudinha… Vejamos agora como o Dr. Robert

Bratcher (tradutor chefe da BLH) se convence da necessidade da “Linguagem de Hoje” por

uma garotinha de 11 anos! ” O Dr. Roberto Bratcher conta uma experiência diferente,

acontecida nos Estados Unidos, que confirma a necessidade de uma tradução da Bíblia na

Linguagem de Hoje:

Uma garotinha de 11 anos, interrompe a leitura no Novo Testamento na Linguagem de Hoje,

em inglês, e diz a sua mãe: ”Mamãe, eu acho que isto não é a Bíblia. Eu estou entendendo

tudo…’ “

Pergunto: Só porque uma menina de 11 anos tinha pais incompetentes que não

sabiam ensiná-la sobre as verdades Bíblicas, significa que temos que nos render à

mediocridade e corrupção das versões modernas? Não, não e não!!! Em parte deve-se

concordar com a garotinha: “…isto (BLH) não é Bíblia…” Por outro lado, a pobre garota

estava errada , pois milhões de garotinhas da sua idade e até mesmo bem mais novas se

converteram ao Senhor ao ler a mensagem de salvação na Bíblia King James, ou em

português na Bíblia de Almeida! Nós seremos responsabilizados no Tribunal de Cristo se

corrompermos a Palavra de Deus como muitos fazem!

ERRO # 9 do pastor Fridolin Janzen

9. Uma nova versão não divide o fundamentalismo. O fundamentalismo se dividiu

porque alguns insistem em defender uma versão arcaica das Escrituras sem criar

uma alternativa, e vários pastores foram para as versões modernas, infelizmente.

Preferiram o compreensível contaminado ao quase incompreensível puro

(obviamente prefiro o puro). Afirmar que o texto não é arcaico é tapar o sol com a

peneira, irmão! Isto é típico dos fundamentalistas muçulmanos, mas jamais

deveria fazer parte da nossa retórica!

REFUTAÇÃO DO ERRO # 9

O pastor Fridolin Janzen não disse porque o fundamentalismo se dividiu. Vamos ajudá-lo: O

Fundamentalismo se dividiu nos Estados Unidos da América porque uma geração de

pseudo fundamentalistas apóstatas foram enfeitiçados pela crítica textual dos Neoevangélicos e trairam o movimento fundamentalista e a Bíblia King James que foi a Bíblia do

Fundamentalismo e abraçaram novas versões corruptas e traduções “mais fáceis”. Não foi

só uma versão que dividiu os fundamentalistas, foram várias e a filosofia por trás delas. Isso

dividiu e tem que dividir mesmo. Isso contaminou Bob Jones University, o Central Baptist

Seminary, o Detroit Baptist Seminary, Maranatha Baptist Bible College e outras escolas que

eram fundamentalistas, mas que hoje, por causa da teimosia em promover o fermento da

seita Alexandrina, são Neo-evangélicas e não mais fundamentalistas. A versão chamada de

“arcaica” que o pastor Fridolin resolveu não citar, nós sabemos qual é. Para ele a “versão

arcaica” é a Bíblia King James, a qual ele tenta em vão destronar com seu Inglês que nem

sequer sabe diferenciar a segunda pessoa do plural. Ninguém busca uma mulher

“alternativa” quando se é bem casado. Da mesma forma, ninguém precisa de uma “versão

alternativa” quando se crê que se tem a Palavra de Deus hoje.

ERRO # 10 do pastor Fridolin Janzen

10. Além disso a Trinitariana não é tão isenta de erros como se procura defender. Eu

comparei o texto grego com a minha versão palavra por palavra com a King

James, Lutero, Trinitariana, e outras, e fiz uma lista dos desvios relativamente

graves da Trinitariana e cheguei ao número espantoso de 115!!! Não espalho isto

para os quatro ventos, mas só para o irmão saber. Vamos permanecer sóbrios e

com os dois pés no chão. Negar um fato não o anula!

REFUTAÇÃO DO ERRO # 10

Traduções não são inspiradas. Nenhuma tradução deve carregar o termo de ser inspirada.

O Hebraico, o Aramaico e o Grego, esses sim, foram dados por inspiração e preservados. A

King James e a ACF são exemplos de traduções formais que preservam as Palavras de

Deus no Inglês e no Português. Agora, o que será que se quer dizer como “erro”?

Obviamente, o que vimos até aqui, já demonstra claramente a falta de credibilidade do

pastor Janzen para avaliar “erros” e “desvios” da Trinitariana. Se ele insiste no erro básico

do uso errado dos pronomes, e já se mostrou não ser confiável em fatos superficiais da

história, que dirá, fazer uma avaliação da ACF. Ele quer demolir 300 anos de história. Ele

diz que não quer espalhar aos 4 ventos os 115 erros graves da ACF, como se ninguém

soubesse que há a necessidade de retoques. Digamos que fossem 400 correções

necessárias para que a ACF ficasse mais exata. Pelo menos, temos 400 correções

necessárias em 160 mil palavras. Isso seria 0,25%. Nada mal! Agora, quanto às 6

versões do pastor Janzen, haja espanto…

ERRO # 11 do pastor Fridolin Janzen

11. O Senhor diz que “Quando nos afastamos da King James navegamos em

águas turbulentas”. Creio eu que o Sr. deveria te dito: “quando nos afastamos do

Textus Receptus navegamos em águas turbulentas”.

REFUTAÇÃO DO ERRO # 11

O pastor Janzen demonstra que não crê que a Bíblia King James é a melhor representante

e melhor tradução jamais feita do Texto Recebido. Eu, juntamente com milhões de crentes,

cremos que é. Se nos afastamos da Bíblia King James, como o pastor Janzen o faz

repetidamente, nos afastamos automaticamente e inevitavelmente do Texto Recebido, que

ele aparenta ainda não saber onde está. Na matemática temos um princípio: Se duas coisas

são iguais entre si e uma terceira coisa é igual à segunda temos então que essa terceira

coisa será também igual à primeira. Creio que qualquer pessoa entende que essa não é

uma complicada matemática. Creio que o brilhante pastor reformado João Ferreira de

Almeida se baseou ao mesmo tempo na Bíblia King James e no Texto Grego publicado pelo

brilhante calvinista chamado Theodore Beza. Por isso que a tradução de Almeida é

excelente. Ela foi a escolhida por Deus para trazer o evangelho e reavivamentos ao mundo

de fala Portuguesa e será sempre usada, apesar dos ataques de tradutores como o pastor

Janzen.

ERRO # 12 do pastor Fridolin Janzen

12. Este projeto não é um projeto de cunho pessoal. Respeito a Sua posição de não

poder recomendá-lo. Sugiro, porém, que, antes de atacá-lo, o irmão dobre os

seus joelhos e pergunte ao nosso Senhor Jesus Cristo se esta é a vontade DELE

de fazê-lo. Não esperei ser ovacionado com confete no lançamento do NT, mas

temo pela pessoa que, devido a preconceitos pouco ponderados, se torne numa

adversária de um projeto promovido pelo Espírito Santo de Deus!

REFUTAÇÃO DO ERRO # 12

O pastor Janzen diz que seu projeto não é de cunho pessoal, mas se opor a ele é se opor a

algo promovido pelo Espírito de Deus. Atacar o projeto do pastor Janzen é ser motivado por

“preconceitos pouco ponderados”. O pastor Janzen escreve 12 pontos com erros

clamorosos, respondendo um email em poucas horas, mas refutá-lo é preconceito pouco

ponderado. Isso parece ser o argumento de manipulação, onde o questionamento do líder e

às suas ações é um questionamento ao próprio Deus. Parece com algo semelhante a esses

carismáticos que ficam profetizando, declarando e ordenando coisas esdrúxulas pois têm

uma linha direta com o céu, enquanto nós, pobres seres inferiores, ficamos totalmente

dependentes deles, furtados que fomos do sacerdócio individual do crente. Não creio nesse

tipo de persuasão. O pastor Janzen se mostrou decidido, porém não creio que esse projeto

seja do Espírito Santo de Deus. É apenas mais um projeto humano, com filosofias

humanistas, que será fadado ao mais completo fracasso espiritual. Qualquer eventual êxito

editorial ou de impressão como obteve a BLH, NVI, ARA, ECA e outras, será um mero

retrato do tempo em que vivemos. Que pena que alguns queiram fazer parte dessa história.

Eu não farei.

Conclusão:

Gostaria de investir meu tempo em outras coisas, mas como meu email foi parar numa

página onde é divulgado esse projeto, sou obrigado a repudiá-lo. Quando se trata de

defender a Palavra de Deus contra os ataques de toda a sorte, todo aquele que ama as

Escrituras deve ser chamado a defender a fé, mesmo que esses ataques venham de

lugares onde gostaríamos que não viesse. Infelizmente, quem se alia a esses desígnios

como esse projeto que repudiamos, se acha combatendo contra a Palavra de Deus. Para

esses segue o alerta: “Horrenda coisa é cair nas mãos do Deus vivo” Heb. 10:31.

Pastor Pedro Almeida

Dezembro de 2005

Hotel em Promoção - Caraguatatuba

Deixe um Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Eis-me Aqui