Dúvidas Bíblicas - Hebreus

Essa passagem ensina que os cristãos podem perder a salvação?

SALVAÇÃO
Hotel em Promoção - Caraguatatuba
Faça Sua Parte - Compartilhe!

REFERÊNCIA: Hebreus 6.4-6

PROBLEMA: Hebreus 6.4-6 parece ter sido escrito para os cristãos porque contém certas características que somente são verdadeiras em relação a eles, tais como “participantes do Espírito Santo” (v. 4). Mas esse texto declara que, se eles caírem, “é impossível outra vez renová-los para arrependimento, visto que, de novo, estão crucificando para si mesmos o Filho de Deus e expondo-o à ignomínia” (v. 6). Isso quer dizer então que os crentes podem perder a salvação?

SOLUÇÃO: Há basicamente duas interpretações dessa passagem. Há os que a entendem como referência aos crentes, e há os que a consideram como referência aos não crentes. Aqueles que dizem que essa passagem se refere aos não crentes argumentam que todas essas características poderiam ser daqueles que professam meramente o cristianismo, mas que na s verdade não possuem o Espírito Santo. Observam que as pessoas referidas no texto não são descritas da maneira usual como um cristão é caracterizado, como, por exemplo: quem nasceu “de novo” (Jo 3.3); ou quem está “em Cristo” (Ef 1.3); ou quem foi selado no Espírito Santo (Ef 4.30).

Receba Estudos no Celular!

Apontam para Judas Iscariotes como o exemplo clássico dessa situação: ele andou com o Senhor, foi enviado e comissionado por Jesus em missões, os tendo recebido “autoridade sobre espíritos imundos para os expelir e para curar toda sorte de doenças e enfermidades” (Mt 10.1). Entretanto, em sua oração no evangelho de João, Jesus falou 9. de Judas como o “filho da perdição” (Jo 17.12).

Vários problemas surgem quando se toma essa passagem como relativa a não cristãos, mesmo para aqueles que sustentam a posição de que o crente pode perder a salvação (i. e., os arminianos). Primeiro, a passagem declara enfaticamente que “é impossível outra vez renová-los para arrependimento” (Hb 6.4,6). Mas poucos arminianos creem que, uma vez tendo alguém apostatado, lhe seja possível ser salvo de novo. 

Apesar de a descrição de tais pessoas no texto ser um pouco diferente das formas empregadas em outras partes do NT, algumas das expressões utilizadas muito dificilmente poderiam aplicar-se a pessoas não salvas. Por exemplo:

  1. tais pessoas tinham experimentado arrependimento” (Hb 6.6), que é a condição para a salvação (At 17.30);
  2. o texto refere-se àqueles “que uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial” (Hb 6.4);
  3. eles “se tornaram participantes do Espírito Santo” (v.4);
  4. “provaram a boa palavra de Deus” (v. 5);
  5. também os “poderes do mundo vindouro” (v. 5).

É claro que, se eles são cristãos, a questão que surge é a respeito de sua situação depois que “caíram” (v. 6). Aqui a interpretação varia conforme a linha teológica adotada. Os arminianos argumentam frequentemente que tais pessoas perderam de fato a salvação. Entretanto, o texto parece indicar que elas não podem ser salvas de novo, o que a maioria dos arminianos rejeita. 

Por outro lado, aqueles que sustentam um ponto de vista calvinista (como os autores deste material) apontam para alguns fatos.

Primeiro, a palavra correspondente ao verbo “cair” que aparece no texto (parapesontas) não indica uma ação sem retorno. É, sim, uma palavra para “desviar-se do rumo”, indicando que a situação daquelas pessoas não é desesperadora.

Segundo, o fato de que é “impossível” que eles de novo se arrependam indica a natureza do arrependimento, ou seja, que é uma vez para sempre. Em outras palavras, eles não necessitam arrepender-se novamente, já que isso foi feito uma vez e é suficiente para a “eterna redenção” (Hb 9.12).

Terceiro, o texto parece indicar que não há necessidade de que os que se desviaram” (apóstatas) se arrependam de novo para serem salvos, assim como não é mais necessário que Cristo morra de novo na cruz (Hb 6.6).

Finalmente, o autor de Hebreus chama de “amados” aqueles a quem ele está levando essa advertência, termo que dificilmente poderia ser considerado apropriado para incrédulos.

De qualquer forma, não há problema algum nessa passagem a respeito da inspiração das Escrituras. É simplesmente uma questão de interpretação da Bíblia por cristãos que têm em comum a crença de que ela é a inspirada Palavra de Deus em tudo o que afirma. Deus em tudo o que afirma

Fonte: Bíblia de Estudo – Perguntas & Repostas

Divulgação: Eis-me Aqui!

Hotel em Promoção - Caraguatatuba