Dúvidas Bíblicas - 1ª Corintios

Como pode a natureza ensinar que é errado para o homem usar cabelo comprido, se o comprimento do cabelo é algo cultural?

Como pode a natureza ensinar que é errado para o homem usar cabelo comprido, se o comprimento do cabelo é algo cultural?
Hotel em Promoção - Caraguatatuba
Faça Sua Parte - Compartilhe!

REFERÊNCIA: 1ª Corintios 11.14

PROBLEMA: Paulo fez a seguinte pergunta: “Não vos ensina a própria natureza ser desonroso para o homem usar cabelo comprido?”. Mas o comprimento do cabelo de um homem é relativo à cultura e ao tempo em que ele vive. Não é algo que se saiba pela natureza.

SOLUÇÃO: Essa é uma passagem difícil, e os comentaristas não concordam entre si quanto a seu sentido. Mas há duas possíveis maneiras de entendê-la.

Receba Estudos no Celular!

Entendendo a natureza subjetivamente. Nesse sentido, “natureza” denota sentimentos instintivos ou um sentido intuitivo quanto ao que seja apropriado. Isso certamente pode ser afetado por hábitos e práticas culturais. Se esse é o sentido da passagem, então a afirmativa de Paulo significa mais ou menos o seguinte: “Os vossos próprios costumes não vos ensinam que o cabelo comprido é desonroso para o homem?”. Essa interpretação é difícil de justificar, em termos do significado normal da palavra “natureza” (phusis), a qual no NT tem um sentido muito mais forte do que “costumes” (cf. Rm 1.16; 2.14).

Entendendo a natureza objetivamente. Nesse sentido, “natureza” significa a ordem das leis naturais. Paulo fala da homossexualidade sendo “contra a natureza” (Rm 1.26), e fala que os gentios têm conhecimento – do que é certo e do que é errado – “pela natureza”, isto é, pela “lei gravada no seu coração” (Rm 2.15). Assim, ele está dizendo algo como: “Até mesmo os pagãos, que não têm nenhuma revelação especial, ainda assim têm uma inclinação natural para distinguir os sexos por meio do comprimento do cabelo, as mulheres geralmente tendo um cabelo mais cheio e mais comprido”.

Os seres humanos instintivamente distinguem os sexos de diversos modos, dos quais um é o comprimento do cabelo. Há exceções decorrentes da necessidade (saúde, segurança), da perversidade (homossexualidade) ou de uma prática de santidade (o voto de nazireu). Mas essas somente servem para provar a regra geral que se baseia na tendência natural de diferenciar os sexos com base no comprimento do cabelo.

Com certeza, nenhum padrão absoluto do que seja um cabelo “comprido” estaria na mente de Paulo. Isso variaria de acordo com a cultura. O ponto principal era permitir a distinção entre os sexos. Foi por essa razão que o AT também proibiu o homem de vestir-se como mulher (Dt 22.5), uma prática que daria margem a toda sorte de impropriedades, tanto de ordem social como moral.

Fonte: Bíblia de Estudo – Perguntas & Repostas

Divulgação: Eis-me Aqui!

Hotel em Promoção - Caraguatatuba

Eis-me Aqui