Cidadania e Política Igreja Perseguida Últimas Notícias

Mesmo com forte repressão islâmica, pastor já batizou mais de 150 ex-muçulmanos

Hotel em Promoção - Caraguatatuba
Faça Sua Parte - Compartilhe!


O pastor Roy faz trabalho missionário desde 2014 e, desde então, inaugurou quatro igrejas.

Os ex-muçulmanos convertidos ao cristianismo enfrentam grande hostilidade em Bangladesh, que chega à violência, especialmente nas áreas rurais. O mesmo acontece com aqueles que levam o Evangelho a eles.

Alguns cristãos envolvidos no alcance de muçulmanos foram assassinados no país. Hossain Ali estava andando perto de sua casa no início de uma manhã, quando três muçulmanos de moto o assassinaram em um ataque com faca. O cristão, ex-fiel do Islã, de 68 anos de idade, fazia reuniões da igreja regularmente em sua casa.

Receba Estudos no Celular!

A resistência ao Evangelho em Bangladesh não intimida os pastores e missionários que atuam no país. É o caso do Pr. Roy, que serve na Igreja das Células Evangélicas de Nilphamri.

O trabalho missionário do pastor tem tido resultados surpreendentes em Bangladesh. “Estou pastoreando a área desde 2014, onde expandi o ministério e agora estabeleci mais quatro igrejas”, conta.

O pastor Roy diz ainda que sofreu muitos ataques por pregar a fé cristã. “Enquanto compartilhei o evangelho, enfrentei muitos problemas, porque seis famílias de origem majoritária aceitaram Jesus”, relata.

O trabalho ministerial do Pr. Roy e de sua esposa Swopna rendeu a ele a prisão. “Eu estava na prisão, mas minha fé era forte e, portanto, Deus me resgatou do perigo. Agora temos 153 membros batizados e Deus está aumentando meu ministério”, testemunha.

Desprezados e empobrecidos

Os missionários em Bangladesh são vítimas da perseguição oficial no país muçulmano, mas a atuação deles têm sido fundamental para o evangelismo.

Segundo um dos missionários nativos da Christian Aid Mission, muitas conversões e batismos têm acontecido no país, que é quase que totalmente cercado pela Índia, e que tem como principais religiões o islã e o budismo.

“Eu agradeço ao Senhor porque até agora já batizamos 1.758 pessoas de povos tribais de diferentes aldeias, que acreditaram no Senhor Jesus Cristo como seu Salvador pessoal e se entregaram a Ele”, conta o líder missionário cujo nome não pode ser revelado por razões de segurança.

Os novos cristãos, que saem da religião oficial, também correm riscos. “Por quanto tempo seremos perseguidos neste país?”, exclama Rita, uma cristã de Bangladesh, desesperada, ao recordar como uma multidão de cerca de 30 muçulmanos forçou sua família a sair de sua casa em Dhaka. A própria Rita ficou ferida no ataque e a polícia não fez nada.

Vítimas das enchentes, os cristãos Jacob e Merry, com a filha Monika, desfrutam de uma refeição juntos. (Foto: Reprodução/Barnabas)

“Vulneráveis, desprezados e empobrecidos, os cristãos de Bangladesh precisam desesperadamente de apoio”, afirma a agência Barnaba Fund, que diz ainda que as pessoas de Bangladesh ainda enfrentam desastres naturais com frequência, como inundações ou ciclones.

“Estávamos ansiosos por comida. Nossa filha pequena sofria com fome com frequência. Não temos emprego e perdemos nossas colheitas, terras, tudo”, disse Merry, que mora com seu marido Jacob e sua filha Monika, de cinco anos, em uma área remota do setor de Chittagong Hill.

A família recebeu comida e ajuda médica de Barnabas quando perderam sua casa em um deslizamento de terra durante as inundações deste ano. “Agora podemos comer três vezes ao dia. Nosso Cristo é nosso Salvador, louvado seja o Senhor!”, agradece Merry.

Fonte: Guiame.com.br

Postagem Original: https://guiame.com.br/gospel/missoes-acao-social/mesmo-com-forte-repressao-islamica-pastor-ja-batizou-mais-de-150-ex-muculmanos.html

Hotel em Promoção - Caraguatatuba