Cidadania e Política Últimas Notícias

Meninas cristãs de países pobres são levadas para se casarem à força na China

Hotel em Promoção - Caraguatatuba
Faça Sua Parte - Compartilhe!

Desde outubro de 2018, cerca de 750 a mil meninas cristãs foram casadas com homens chineses.

A política do filho único na China comunista, que acarretou predileção das grávidas por meninos, produziu uma demanda cada vez mais crescente por mulheres no país.

Para suprir essa demanda, centenas de meninas cristãs paquistanesas pobres são traficadas para a China onde se casam obrigadas com chineses.

Receba Estudos no Celular!

“Os corretores estão procurando agressivamente garotas para homens chineses, às vezes até viajando para fora das igrejas para pedir potenciais noivas”, segundo um relatório da Associated Press (AP).

Eles estão sendo assistidos por ministros cristãos pagos para identificar prováveis ​​candidatos em suas igrejas com promessas de milhares de dólares para os pais (com porcentagens para corretores e pastores) em troca de suas filhas.

“Isso é contrabando humano”, disse Ijaz Augustine, funcionário do governo paquistanês à AP. “A ganância é realmente responsável por esses casamentos … Eu encontrei algumas dessas meninas e elas são muito pobres.”

Agostinho denuncia que a embaixada chinesa no Paquistão está ignorando a prática emitindo livremente vistos e documentos para as novas noivas.

Segundo denúncias, os pais estão sendo enganados, e os noivos não são nem cristãos nem ricos.

“Os pais recebem vários milhares de dólares e são informados de que seus novos genros são cristãos ricos convertidos”, segundo o relatório da AP.

A AP entrevistou noivas, seus pais, um ativista, pastores e funcionários do governo para documentar sua história.

As adolescentes geralmente são casadas contra a vontade delas. Quando chegam à China, muitas vezes são instaladas em regiões rurais remotas, sujeitas a abusos e têm dificuldades com o idioma.

Escravidão sexual

Há “evidências crescentes de que as mulheres e meninas paquistanesas correm risco de escravidão sexual na China”, observou recentemente a Human Rights Watch.

No dia 6 de maio, oficiais paquistaneses prenderam oito cidadãos chineses e quatro paquistaneses em incursões na província de Punjab em conexão com o tráfico, informou a Geo TV. Os ataques ocorreram após uma operação secreta que vigiava um casamento arranjado.

A AP entrevistou mais de uma dúzia de noivas cristãs paquistanesas e futuras noivas que conseguiram escapar antes de seus casamentos arranjados. Todos testemunharam a prática envolvendo corretores e chocantemente, ministros cristãos.

Para atender a demanda por noivas chinesas, muitas vieram de países vizinhos como Vietnã, Laos e Coréia do Norte. Agora os homens chineses estão ampliando sua área de busca, com o Paquistão sendo alvo no último ano.

Demanda crescente

Desde outubro de 2018, cerca de 750 a mil meninas cristãs foram casadas com homens chineses, de acordo com Saleem Iqbal, um ativista cristão.

“A pequena comunidade cristã do Paquistão, centrada na província de Punjab, é um alvo vulnerável. Contando cerca de 2,5 milhões na população majoritariamente muçulmana do país de 200 milhões, os cristãos estão entre os mais profundamente empobrecidos do Paquistão. Eles também têm pouco apoio político ou social ”, observou AP.

É uma prática tradicional no Paquistão que os pais decidam o cônjuge de uma filha. As meninas são consideradas menos desejáveis ​​que os meninos porque a família da noiva deve pagar um dote e o custo de seu casamento. Novas noivas podem ser abusadas por maridos e sogros se o dote for considerado ausente.

“Por outro lado, os potenciais noivos chineses oferecem dinheiro aos pais e pagam todas as despesas do casamento”, observou AP.

Pastores envolvidos

As quantias de US$ 3.500 a US$ 5.000 são típicas nessas transações, pagando pais, pastores e um corretor, disse Iqbal à AP. Ele disse ainda que algumas noivas têm 13 anos.

O pastor Munch Morris disse que conhece um grupo de pastores em sua vizinhança em Gujranwala, norte de Lahore, que trabalha com um corretor matrimonial chinês.

Um dos pastores disse: “Deus fica feliz porque esses meninos chineses se convertem ao cristianismo. Eles estão ajudando as pobres moças cristãs”.

Mas o pastor Morris se opõe aos arranjos. “Sabemos que esses casamentos são todos por dinheiro”, disse à AP.

Os corretores também procuram noivas em fornos de tijolos paquistaneses, onde os mais pobres trabalham como servos para quitar dívidas. Os corretores se oferecem para pagar as dívidas de seus empregados em troca de filhas como noivas.

Fonte: Guiame.com.br

Postagem Original: https://guiame.com.br/gospel/missoes-acao-social/meninas-cristas-de-paises-pobres-sao-levadas-para-se-casarem-forca-na-china.html

Divulgação: Eis-me Aqui!

Hotel em Promoção - Caraguatatuba
Right Menu Icon