Cidadania e Política Igreja Perseguida Últimas Notícias

Maior organização muçulmana do Reino Unido lutando para proibir Franklin Graham de pregar lá

Maior organização muçulmana do Reino Unido lutando para proibir Franklin Graham de pregar lá
Hotel em Promoção - Caraguatatuba
Faça Sua Parte - Compartilhe!

Steve Warren

A maior organização islâmica da Grã-Bretanha está pedindo ao governo que proíba o evangelista Franklin Graham, que está agendado para aparecer em um evento no país no final deste mês.

A revista Newsweek informou que o Conselho Muçulmano da Grã-Bretanha (CMG), organização que reúne centenas de grupos islâmicos, está apoiando os pedidos de três parlamentares e membros do público para negar a Graham um visto para divulgar o que a organização chama de “discurso do ódio.”

Receba Estudos no Celular!

O “discurso de ódio” a que eles se referem é a pregação de Graham contra o islamismo como “mal” e como “religião de guerra.” Ele também tem sido um adversário contra o movimento de direitos LGBT.

Graham, filho do falecido Billy Graham, será o palestrante convidado do evento Festival de Esperança em Blackpool, localizado no noroeste da Inglaterra, em 21 de setembro.

No site Jihad Watch, o escritor Robert Spencer pergunta “Alguém estaria pedindo a proibição de Graham do Reino Unido se ele tivesse chamado o Cristianismo de ‘mal’?”

O CMB em uma declaração ao jornal The Guardian disse: “No passado, o governo proibiu indivíduos que eles alegam ‘não serem úteis ao bem do público.’ Os comentários do senhor Graham estão registrados e claramente demonstram ódio pelos muçulmanos e outras minorias. Esperamos que o governo aplique seus critérios aqui. Se isso não acontecer, enviará uma mensagem clara de que não está sendo coerente em desafiar todas as formas de fanatismo.”

Spencer diz que o governo britânico já é incoerente.

“Ele proíbe os inimigos do terrorismo jihadista e os críticos do islamismo ao mesmo tempo em que deixa entrar os jihadistas,” escreveu ele. “O Ministério do Interior recentemente proibiu Martin Sellner, Brittany Pettibone, Lauren Southern e Lutz Bachmann de entrar, todos pelo crime de se opor ao terrorismo jihadista e à opressão da xariá, e assim deixou claro que é mais autoritário e indisposto a defender a liberdade de expressão do que nunca — pelo menos quando se trata de críticas ao islamismo, gangues de estupradores muçulmanos e migração em massa de muçulmanos.”

Spencer escreve que ele e Pamela Geller foram proibidos de entrar na Grã-Bretanha há cinco anos por dizerem a verdade sobre o islamismo e a jihad.

“Poucos dias depois de Geller e eu sermos banidos, o governo britânico liberou a entrada do xeique saudita Mohammed al-Arefe. Al-Arefe havia dito: ‘Devoção à jihad por amor a Alá, e o desejo de derramar sangue, esmagar crânios e cortar membros por amor a Alá e em defesa de sua religião, é, sem dúvida, uma honra para o crente muçulmano,” escreveu ele. “Alá disse que se um homem lutar contra os infiéis, os infiéis não serão capazes de se preparar para lutar.”

“E a pregação de ódio e jihad de Syed Muzaffar Shah Qadri foi tão radical que ele foi proibido de pregar no Paquistão, mas o Ministério do Interior do Reino Unido lhe deu as boas-vindas na Grã-Bretanha,” continuou ele.

Spencer também escreve que o Ministério do Interior do Reino Unido também liberou a entrada de Shaykh Hamza Sodagar no país apesar do fato de ele ter dito: “Se há homens homossexuais, a punição é uma de cinco coisas. Uma — talvez a mais fácil — cortar a cabeça deles, é o mais fácil. Segunda — queimá-los até a morte. Terceira — jogá-los de um penhasco. Quarta — derrubar uma parede em cima deles para que eles morram debaixo dela. Quinta — uma combinação dos itens acima.”

Ele também aponta que o governo da primeira-ministra Theresa May permitiu que dois pregadores jihadistas entrassem no país, e um deles foi até saudado pelo arcebispo de Canterbury. Ao mesmo tempo, o governo britânico proibiu três bispos cristãos do Iraque e da Síria de entrar no país, apesar de estarem enfrentando perseguição em seus países.

“Então, se o governo britânico for coerente nesse caso, banirá Graham e deixará entrar alguns jihadistas,” escreveu Spencer.

Fonte: Julio Severo

Postagem Original: http://juliosevero.blogspot.com/2018/09/maior-organizacao-muculmana-do-reino.html

Divulgação: Eis-me Aqui!

Hotel em Promoção - Caraguatatuba
Right Menu Icon
%d blogueiros gostam disto: