Perguntas e Respostas

Buscando o caminho da cruz, ou falando de si para si mesmo?

Hotel em Promoção - Caraguatatuba
Faça Sua Parte - Compartilhe!

Buscando o caminho da cruz, ou falando de si para si mesmo?O que a Sagrada Escritura diz sobre o coração humano? O que a Santa Palavra de Deus revela sobre nós? O que nós pensamos a nosso próprio respeito?

Buscando o caminho da cruz, ou falando de si para si mesmo?

Receba Estudos no Celular!

O que a Sagrada Escritura diz sobre o coração humano? O que a Santa Palavra de Deus revela sobre nós? O que nós pensamos a nosso próprio respeito?

O coração é mais enganoso que todas as coisas (Jr 17:9). Muitas vezes a aparente paz que sentimos é simplesmente fruto de nossas próprias emoções distorcidas e distanciadas daquilo que a Bíblia diz de fato. Portanto, a questão não está na paz que sentimos, mas na paz de Cristo que deve ser o árbitro no nosso coração (Cl 3:15). Esta paz de Cristo é confirmada pela própria Palavra de Deus. Este exercício de busca pela vontade de Deus, por meio do estudo da Sagrada Escritura, nem sempre é uma tarefa fácil. Isso exige tempo, paciência e submissão. Essa busca deve ser empreendida pela união desses três fatores juntos, regados a muita oração.

Na caminhada da vida cristã, podemos facilmente errar o caminho e fatalmente poderemos terminar enganando a nós mesmos, pensando a nosso próprio respeito aquilo que não convém. Para piorar a situação, poderemos entrar num processo de autoconvencimento, buscando justificar a nós mesmos, tentando por conta própria empurrar na nossa própria cabeça aquilo que achamos ser certo ou o que desejamos que aconteça. Dessa forma, buscamos um estilo de vida independente de Deus, usando o Senhor apenas como uma desculpa para nossa religiosidade. Pode ser que, pela falta de uma vida verdadeiramente piedosa, terminemos usando a Deus como um degrau para atingirmos os nossos objetivos. O mais triste de tudo isso é que podemos terminar fazendo isso em nome do próprio Deus.

MUITAS VEZES SOMOS MOVIDOS PELA NOSSA PRÓPRIA VAIDADE.

“Não confie, pois, na vaidade, enganando-se a si mesmo, porque a vaidade será a sua recompensa” (Jó 15:31)

MUITAS VEZES BUSCAMOS JUSTIFICAR A NÓS MESMOS, AO INVÉS DE BUSCARMOS A DEUS.

“Então, se acendeu a ira de Eliú, filho de Baraquel, o buzita, da família de Rão; acendeu-se a sua ira contra Jó, porque este pretendia ser mais justo do que Deus” (Jó 32:2)

MUITAS VEZES ESQUECEMOS QUE TUDO PASSARÁ E QUE UM DIA MORREREMOS, E PASSAMOS A VIVER CONFIANDO EM NÓS MESMOS, BUSCANDO UMA AUTOSATISFAÇÃO COM NOSSAS PRÓPRIAS PALAVRAS.

“Mas o homem, embora esteja em honra, não permanece; antes é como os animais que perecem. Este é o destino dos que confiam em si mesmos; o fim dos que se satisfazem com as suas próprias palavras” (Sl 49:12,13)

MUITAS VEZES USAMOS UMA INFINIDADE DE RECURSOS, PALAVRAS E JUSTIFICATIVAS PARA CONFIAR EM NÓS MESMOS E TERMINAMOS USANDO ATÉ MESMOS A PRÓPRIA ORAÇÃO PARA FALAR DE NÓS PARA NÓS MESMOS, TENTANDO NOS AUTOCONVENCER DAQUILO QUE QUEREMOS E ATÉ ACUSAMOS OS OUTROS DO NÓS SOMOS.

“Propôs também esta parábola a alguns que confiavam em si mesmos, por se considerarem justos, e desprezavam os outros … O fariseu, posto em pé, orava de si para si mesmo, desta forma: Ó Deus, graças te dou porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros, nem ainda como este publicano” (Lc 18:9,11)

MUITAS VEZES BUSCAMOS A NOSSA PRÓPRIA GLÓRIA, FALANDO DE ACORDO COM AQUILO QUE QUEREMOS E NÃO DE ACORDO COM AQUILO QUE DEUS DETERMINA.

“Quem fala por si mesmo está procurando a sua própria glória; mas o que procura a glória de quem o enviou, esse é verdadeiro, e nele não há injustiça” (Jo 7:18)

MUITAS VEZES, MOVIDOS PELA COBIÇA E PELA FALTA DE FÉ, TERMINAMOS PENSANDO A NOSSO PRÓPRIO RESPEITO QUE SOMOS MAIS DO QUE REALMENTE SOMOS E QUE PODEMOS MAIS DO QUE REALMENTE PODEMOS.

“Porque, pela graça que me foi dada, digo a cada um dentre vós que não pense de si mesmo além do que convém; antes, pense com moderação, segundo a medida da fé que Deus repartiu a cada um” (Rm 12:3)

MUITAS VEZES NOS CONDENAMOS A NÓS MESMOS SIMPLESMENTE POR NÃO GUARDAR COM TODA FORÇA, ALMA E ENTENDIMENTO AQUILO QUE DEUS DETERMINOU.

“A fé que tens, tem-na para ti mesmo perante Deus. Bem-aventurado é aquele que não se condena naquilo que aprova” (Rm 14:22)

MUITAS VEZES NOS PREJUDICAMOS POR NOS ESTRIBAR EM NÓS MESMOS, EM NOSSO PRÓPRIO CONHECIMENTO OU NA POSIÇÃO QUE OCUPAMOS.

“Ninguém se engane a si mesmo: se alguém dentre vós se tem por sábio neste século, faça-se estulto para se tornar sábio” (1Co 3:18)

MUITAS VEZES TRANSFERIMOS PARA OUTROS AQUILO QUE CABE A NÓS E SOMOS MUITO APRESSADOS EM CONDENAR O PRÓXIMO QUANDO ESQUECEMOS DE AVALIAR A NÓS MESMOS.

“Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e, assim, coma do pão, e beba do cálice” (1Co 11:28)

MUITAS VEZES PERDEMOS O ENTENDIMENTO E O BOM SENSO SIMPLESMENTE PORQUE PASSAMOS A VIVER DE COMPARAÇÕES PORQUE DESEJAMOS SER LOUVADOS, RECONHECIDOS E SEGUIDOS.

“Porque não ousamos classificar-nos ou comparar-nos com alguns que se louvam a si mesmos; mas eles, medindo-se consigo mesmos e comparando-se consigo mesmos, revelam insensatez” (2Co 10:12)

MUITAS VEZES SOMOS REPROVADOS PORQUE FAZEMOS AS COISAS PARA RECEBER RECONHECIMENTO E DISTINÇÃO, FAZENDO PROPAGANDA DE NOSSOS ATOS.

“Porque não é aprovado quem a si mesmo se louva, e sim aquele a quem o Senhor louva” (2Co 10:18)

MUITAS VEZES VIVEMOS NO ENGANO PORQUE NÃO RECONHECEMOS A NOSSA PEQUENEZ E TERMINAMOS PENSANDO QUE SOMOS MAIORES DO QUE REALMENTE SOMOS.

“Porque, se alguém julga ser alguma coisa, não sendo nada, a si mesmo se engana” (Gl 6:3)

MUITAS VEZES NOS DAMOS MAL SIMPLESMENTE PORQUE NÃO QUEREMOS ADMITIR QUE EXISTEM PESSOAS QUE FAZEM AS COISAS MELHORES DO QUE NÓS, PORQUE NÃO QUEREMOS PERDER A NOSSA POSIÇÃO E STATUS. COM ISSO, MERGULHAMOS EM UMA LUTA POR PODER PELA IMPOSIÇÃO À FORÇA E PELO AUTORITARISMO.

“Nada façais por partidarismo ou vanglória, mas por humildade, considerando cada um os outros superiores a si mesmo” (Fp 2:3)

MUITAS VEZES NOS COLOCAMOS EM SITUAÇÕES DIFÍCEIS APENAS PORQUE NÃO INVESTIMOS TEMPO NO ESTUDO DEDICADO DA PALAVRA DE DEUS E PASSAMOS E VIVER UMA SUPERFICIALIDADE CRISTÃ, ESQUECENDO ATÉ DE QUEM NÓS SOMOS NA VERDADE. PASSAMOS A NÃO CONHECER QUEM É DEUS E QUEM NÓS SOMOS DE VERDADE. TUDO PASSA A SER RASTEIRO, SUPERFICIAL, SEM SOLIDEZ, APARENTE, TOSCO. PASSAMOS A VIVER UMA VIDA CRISTÃ QUE MAIS PARECE UMA CARICATURA.

Porque, se alguém é ouvinte da palavra e não praticante, assemelha-se ao homem que contempla, num espelho, o seu rosto natural; pois a si mesmo se contempla, e se retira, e para logo se esquece de como era a sua aparência” (Tg 1:23,24)

{loadposition banner_inside}

Para evitar tudo isso, é necessário voltarmos ao caminho da cruz. Esse caminho da cruz passa pela completa negação de nossas próprias vontades humanas, pela abnegação, pelo negar-se a si mesmo, para só então podermos seguir a Cristo. Seguir a Cristo como Ele deseja ser seguido, em benefício da obra de Deus, do próximo, de si mesmo.

Negue-se a si mesmo, para fazer bem a si mesmo.

“Então disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz, e siga-me” (Mt 16:24)

Senhor, livrai-nos do mal, livrai-nos de nós mesmos.

Fonte: Napec

Divulgação: eismeaqui.com.br

{jacomment on}

Hotel em Promoção - Caraguatatuba

Deixe um Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Right Menu Icon
%d blogueiros gostam disto: