Homossexualismo Igreja Perseguida Últimas Notícias

Cristãos são expulsos de cafeteria por proprietário gay

Cristãos são expulsos de cafeteria por proprietário gay

Dono do local alega que não queria como clientes quem condenava o seu estilo de vida

Faça Sua Parte - Compartilhe!

Um grupo de cristãos estava na cafeteria Bedlam em Seattle, Washington, quando foram expulsos. O motivo? Por ser homossexual assumido, o dono não queria como clientes quem condenava o seu estilo de vida.

Os ativistas do grupo Abolish Human Abortion [Abolição do Aborto Humano] distribuíam folhetos contra o aborto nas ruas da cidade, quando decidiram fazer uma pausa. Dirigiram-se ao local mais próximo onde conseguiam tomar um café e pararam ali para relaxar por uns minutos.

De repente, foram confrontados por um homem que afirmava ser o proprietário do local. Um vídeo mostrando a embaraçosa situação viralizou no Facebook.  Os ativistas Caleb Head e Caytie Davis registraram o momento em que Ben Borgman, proprietário do local, começa a gritar “Eu sou gay. Vocês têm que sair daqui”, diz ele logo no início da filmagem.

Receba Estudos no Celular!

“Você está nos negando o serviço?”, perguntou Davis. “Sim, isso mesmo”, respondeu  Borgman, visivelmente alterado.

Quando o ativista Jonathan Sutherland questionou por que eles estavam sendo expulsos, o dono do Badlam perdeu o controle.  “Se eu for buscar meu namorado e transar com ele aqui você vai tolerar?”, questionou Borgman.

“Essa é a sua escolha”, respondeu Sutherland, que pareceu não entender a provocação. Borgman passou então fazer um discurso enfatizando que discordava das posições dos cristãos sobre o aborto e o casamento gay.

“Eu não tenho que tolerar isso! Saiam, todos vocês. Digam a todos os seus amigos que não venham aqui”, vociferou o dono do local. Quando um dos cristãos tentou falar sobre Jesus, foi interrompido. “Eu não vou ser salvo por ninguém”, disparou Borgman, que passou a dizer blasfêmias sobre Cristo.

O vídeo teve grande repercussão por que o Supremo Tribunal dos Estados Unidos vai retomar o caso de Jack Phillips, um confeiteiro cristão do Colorado que foi processado por se negar a fazer um bolo de casamento para um casal gay.

A Comissão de Direitos Civis do Colorado está tentando obrigar judicialmente Phillips a fazer bolos de casamento para casais LGBT ou fechar a sua confeitaria. A corte alega que o estado do Colorado está pondo em prática leis que condenam o preconceito e a intolerância.

O caso se arrasta nos tribunais desde 2014, quando os advogados de defesa alegaram que, ao negar o pedido de confeitar um bolo de casamento gay, Phillips não atacou a orientação do casal, mas sim protegeu sua “crença cristã inabalável”.

Papéis trocados

O argumento levantado pelo Abolish Human Abortion é que os tribunais nada fazem quando ocorre uma situação como essa, onde é o gay que se nega a servir cristãos por discordar de suas convicções.

Antevendo a possibilidade de um processo jurídico, Ben Borgman usou a conta do Café Bedlam no Facebook para se justificar. Ele alega que os cristãos fizeram uma armação contra ele.

“Eu fui batizado católico romano, fui a alguns estudos da Bíblia, li o livro inteiro mais de uma vez. No meu entendimento, e para usar o vernáculo religioso; Essas pessoas estão trabalhando para Satanás. O grande ilusionista os enganou, fazendo-os acreditar que o ódio é amor, que a raiva é a paz, e que essas mentiras são verdadeiras. O Deus que eu conheci, o Jesus sobre o qual me ensinaram nunca distribuiria folhetos com fotos horríveis de um bebê morto”, escreveu ele, alegando que o vídeo foi editado e suas palavras tiradas de contexto. Com informações de Washington Times

Fonte: Gospel Prime

Divulgação: Eis-me Aqui!

Right Menu Icon
%d blogueiros gostam disto: