Eis-me Aqui

Estudos Bíblicos - Site: Eis Me Aqui

Reflexões sobre o Ministério Pastoral

Charles Melo

A classe pastoral tem sido alvo de muitas considerações. Ora falam muito bem dela, ora tecem críticas severas. Já reparou como os jornais fazem questão de falar a religião e o ofício de um criminoso quando ele é um pastor evangélico? Eu, como pastor, já ouvi muitas piadas envolvendo dinheiro, mulheres e charlatanismo. Parece que o mundo odeia ainda mais aqueles que se identificam como pastores. Nem sequer me respeitavam, quando eu dizia que era pastor. A piada de mau gosto sempre vinha do mesmo jeito.

O motivo das piadinhas e das críticas é que o ministério pastoral está atualmente muito descaracterizado em relação àquilo que a Bíblia estabeleceu como padrão ministerial. Muitos pastores são maus pagadores. A primeira vez que fui financiar um automóvel, tive muita dificuldade de aprovar meu crédito, simplesmente porque eu sou pastor. Algumas financeiras diziam que não financiavam veículos para pastores. Muitos pastores são apegados a coisas materiais, são difíceis de relacionarem-se com os outros, alguns são grosseiros, ditadores, outros são bajuladores, outros tratam bem só os ricaços, interessados em seus altos dízimos o ofertas. Muitos pastores têm feito pouco caso da são doutrina e não pregam fielmente a Palavra de Deus. Quando isso acontece, as ovelhas atentas de Cristo percebem. A Bíblia ensina que o ministro deve ter bom testemunho tanto dos de dentro como dos de fora, mantendo uma vida irrepreensível, um caráter nobre, para a glória de Deus.

Por outro lado, existem boas recordações de bons ministros da Palavra. Se há pastores que devoram a gordura das ovelhas, há, por outro lado, daqueles que as amam. Há pastores que são atenciosos, que são fiéis à Palavra, que são austeros no governo da igreja, homens de oração, piedosos, são bons pais, excelentes maridos, padrões na palavra, no procedimento, no amor, na fé, na pureza. Há bons pastores de todo jeito e tipo de personalidade. Há daqueles que são muito emotivos e expansivos, há daqueles mais fechados, porém amorosos do mesmo jeito, há daqueles que inspiram um certo ar de temor, há daqueles intelectuais, outros mais simplórios na oratória, alguns excelentes administradores e presidentes (bons líderes), outros excelentes no cuidado do rebanho. Estes honram a nobreza da tarefa dada por Cristo. Estes são exemplos para toda a igreja. São imitadores de Cristo e a igreja deve imitá-los.

Mas algo deve ser dito antes de chegar ao fim dessa reflexão. Nenhum dos grandes pastores que já pisaram este mundo é ou era perfeito. Todos possuíam defeitos. A diferença é o quebrantamento e constante arrependimento diante de suas falhas. Os maus pastores não confessam seus pecados e não se humilham na presença de Deus. Bons pastores, se humilham e se arrependem de seus erros. Maus pastores não pedem perdão. Bons pastores reconhecem seus erros perante as ovelhas e perante Deus. Maus pastores não amam a Deus sobre todas as coisas. Bons pastores amam as ovelhas porque amam a Deus em primeiro lugar. Como Deus amou as ovelhas a ponto de entregar seu Filho por elas, o pastor bom as amará.

Para finalizar, deixo algumas recomendações amorosas. Ore pelos pastores para que eles sejam sempre servos de Deus excelentes e aprovados. Ore para que seus defeitos sejam minimizados pelo aperfeiçoamento do caráter cristão em sua vida. Ore para que o Espírito de Deus os encha de tal forma que sejam mais e mais amorosos e altruístas. Não fale mal deles; ore! Não os desobedeça; trate com honra e dignidade (Hb 13.17). Encoraje, ame, ouça, valorize! Que coias maravilhosa é para um pastor receber este gesto de suas ovelhas. Assim serão sempre estimulados a ser excelentes ministros de Deus, a bem do evangelho.

Veja mais em Teologia

Você está aqui: Página Inicial Estudos Bíblicos Reflexões sobre o Ministério Pastoral