Cidadania e Política Últimas Notícias

Iraniano que declarava “morte a Israel” se rende a Jesus em seu quarto: “Hoje amo judeus”

Iraniano que declarava “morte a Israel” se rende a Jesus em seu quarto: “Hoje amo judeus”
Hotel em Promoção - Caraguatatuba

Darwish era um muçulmano movido pelo ódio aos judeus, mas foi transformado após um verdadeiro encontro com Deus.

Faça Sua Parte - Compartilhe!

“Morte a Israel”. Esse era o lema de todo muçulmano no Irã, como Darwish, que alimentava seu ódio pelos judeus. Mas tudo mudou depois que ele teve um encontro com Jesus Cristo em seu quarto, conforme seu relato à organização One For Israel.

Darwish era comandante do Exército iraniano, mas por trás da farda escondia seu vício em drogas. Depois de ser dispensado do cargo, ele saiu do Irã em busca de uma vida melhor na Inglaterra, onde pediu asilo.

Em seu pedido, Darwish justificou sua necessidade de asilo por ser um “cristão perseguido”. Esse foi um truque para aumentar suas chances de ser legalizado no Reino Unido, onde poderia desfrutar de liberdade e prosperidade.

Receba Estudos no Celular!

Sabendo que deveria aumentar seu conhecimento sobre o cristianismo, Darwish passou a frequentar uma igreja. Ainda assim, seu coração não se rendeu às verdades do Evangelho. “Meu cérebro estava cheio de informações, mas meu coração ainda estava duro”, disse ele.

No dia da entrevista para a liberação do asilo, Darwish pediu a seu pastor para acompanhá-lo, mas ele se recusou. “Você não é cristão”, disse o pastor. “É tudo mentira. Jesus pediu a você para se apoiar na verdade, e a verdade te libertará”.

Darwish ficou indignado com a recusa do pastor e temeu o risco de ser deportado para o Irã. Naquela noite, sozinho em sua casa, ele clamou a Deus. “Se existe um Deus, se revele a mim porque não posso continuar mais”, orou em desespero.

No mesmo instante, Darwish sentiu o toque do Espírito Santo pela primeira vez. “Naquele momento, ele me curou completamente de drogas. Ele tocou meu coração”, relata. “Um grande poder trabalhou no meu coração. Eu tentei várias vezes desistir das drogas, mas não consegui. Mas eu pedi a Jesus para começar uma nova vida, e Ele me ouviu”.

Fruto de arrependimento

No dia seguinte, Darwish confessou suas mentiras ao funcionário de imigração da Inglaterra. Como consequência, seu pedido de mudança de status foi negado. Mesmo com o impedimento, Darwish estava cheio de esperança por causa de sua nova caminhada com Cristo.

Ele decidiu recorrer da recusa para o pedido de visto e seu caso foi levado a uma audiência judicial.

Em meio ao processo, Darwish — o homem que cresceu odiando judeus — passou a crescer em sua fé dentro de uma congregação messiânica, cercado por judeus crentes em Jesus. Ele chegou até mesmo a ser parte da equipe de louvor.

Quando chegou a data da audiência, o juiz lhe perguntou o que ele havia feito no dia anterior. Ele respondeu que estava ministrando a adoração e recitou o Salmo 96 à corte. “Você foi aceito para permanecer na Inglaterra”, disse o juiz.

Hoje Darwish não tem espaço para o ódio. “Por muito tempo, eu costumava acreditar em uma mentira sobre o povo judeu. Comecei a ler a Bíblia e, através desse estudo, Deus me deu uma paixão, um amor pelo povo judeu, porque Ele é o Deus de Abraão, Isaque e Jacó. Jesus salvou minha vida e mudou minha vida”, destaca.

Fonte: Guiame.com.br

Hotel em Promoção - Caraguatatuba